Gerdau (GGBR4) paralisa alto-forno em MG em razão da baixa demanda

Marcia Furlan
null

Crédito: Foto: Paulo Fridman / Bloomberg News

Em razão da queda de demanda, a Gerdau (GGBR4) informou que fará ajustes em sua produção em diversas unidades no mundo no mês de abril.

Em fato relevante, a empresa informou que, no Brasil, em razão da menor procura principalmente dos setores da indústria e da construção civil, o Alto-Forno 2 de Ouro Branco (MG), que tem capacidade instalada de 1,5 milhão de toneladas anuais, será parado.

Além disso, aciarias elétricas e laminações de aços longos sofrerão paralisações.

O Alto-Forno 1, em Ouro Branco–MG, com capacidade de 3 milhões de toneladas anuais, segue operando normalmente, disse a companhia.

Aços especiais

Nas unidades de Aços Especiais, no Brasil e nos EUA, ocorrerão paradas programadas em aciarias elétricas e laminações, de acordo com o nível de estoque existente e a demanda de clientes. A empresa destacou que o setor automotivo dos dois países decretou férias coletivas em abril, o que afeta a demanda.

América do Sul

As operações do Peru e Argentina continuam paradas, porque os governos locais decretaram estado de emergência nacional, o que abrange inclusive entregas aos clientes.

EUA

Nos Estados Unidos, as usinas funcionam normalmente, com ajustes na produção previstos ao longo do mês de acordo com a demanda nos setores de construção civil e indústria.

A Gerdau informou ainda que, quando necessário, está adotando férias coletivas e mantendo o abastecimento de produtos de acordo com necessidades específicas, “dentro das condições de segurança recomendadas pelas autoridades sanitárias”.

“Cabe salientar que nos principais países em que atuamos, o setor do aço é considerado atividade essencial, por ser um insumo estratégico na construção de hospitais, máquinas, equipamentos e componentes do setor de saúde e segurança”, diz o comunicado.

Usiminas

Na semana passada, a Usiminas (USIM5) também tinha anunciado a redução da produção, com o abafamento de alto-fornos 1 e 2 de Ipatinga em datas diferentes, além da paralisação das atividades da Aciaria 1 da Usina de Ipatinga e a paralisação temporária das atividades da Usina de Cubatão.

O motivo é igualmente a redução da demanda, que reflete a retração econômica causada pelo Covid-19.

A medida, anunciada na noite de quinta-feira, motivou uma queda de quase 12% das ações na sexta-feira. No mesmo comunicado, a Usiminas disse que reduziu a previsão de investimento do ano de R$ 1 bilhão para R$ 600 milhões.

Uma das formas mais eficientes de identificarmos o nosso perfil de investidor, é realizando um teste de perfil.

Você já fez seu teste de perfil? Descubra qual seu perfil de investidor! Teste de Perfil

Tá, e aí?

Para a XP Investimentos, o encerramento, por parte da Gerdau, de várias de suas operações em suas unidades de negócios em abril deverá trazer uma pressão de curto prazo.

Esse impacto, destacou a XP, se reflete, entretanto, no conjunto de ações de siderúrgicas no Brasil.

Entretanto, a XP mantém a recomendação de compra para a Gerdau, com preço-alvo de R$13,00 por ação, “com visão positiva para o longo prazo”.

Ibov x GGBR4 nos últimos 90 dias

ggb4-4-3meses-min

Fonte: TradingView

Em recente relatório, a XP destacou, em relação ao preço realizado de aço no mercado doméstico, que um dólar mais alto compensa parcialmente a pressão no mercado internacional.

“Esperamos um aumento médio de preços de 5% para o aço em 2020 vs. 2019, com Gerdau mais favorecida do que CSN e Usiminas, por termos uma visão de risco relativamente mais baixo para construção civil (aços longos) vs. setor automotivo (aços planos)”, ressaltou a XP, em documento sobre revisão setorial de 29 de março.

Balanço

No último balanço, a Gerdau registrou um lucro líquido consolidado de R$ 102 milhões no quarto trimestre do ano passado, cifra 73,8% inferior à reportada no mesmo intervalo de 2018.

Em termos ajustados, por eventos extraordinários que impactaram o resultado, o lucro atingiu R$ 61 milhões, neste critério, redução de 80,4%.

Veja os demais números do balanço

gerdau-balanco-min

Fonte: Empresa

(Com Rodrigo Petry)