Gerdau (GGBR4) realiza organização societária, Lojas Renner (LREN3) sofre ataque hacker e mais

José Azevedo
Jornalista especializado em economia.
1

Crédito: Reprodução / Facebook / Gerdau

A Gerdau (GGBR4) e a Metalúrgica Gerdau (GOAU4) anunciaram na noite desta quinta-feira (19) que irão realizar uma reorganização societária envolvendo sua subsidiária Sidertúl e as suas sociedades Aceros Corsa e Gerdau Corsa – estas em parceria com o Grupo Córdova. As três companhias, todas localizadas no México, se fundirão e se tornarão uma só.

Gerdau reorganizará subsidiárias no México

Para isso, o Grupo Córdova irá comprar 16,84% do capital da Sidertúl por US$ 32,5 milhões, equalizando sua participação nesta empresa com aquilo que possui nas demais. Após isso, a Gerdau aumentará de 70% para 75% sua participação na companhia resultante, que herdará o nome Gerdau Corsa.

“Adicionalmente, a reorganização societária reforçará o compromisso das companhias com suas operações no México, geografia importante e estratégica dentro da sua visão de longo prazo”, afirmou a siderúrgica no documento.

Segundo a companhia, a operação, prevista para acabar no quarto trimestre, permitirá uma redução de alavancagem, a centralização das principais atividades do negócio e a otimização de processos internos.

Lojas Renner (LREN3) sofre ataque hacker

A Lojas Renner (LREN3) comunicou ao mercado que sofreu um ataque hacker durante o dia de hoje em seu ambiente de tecnologia da informação. “Isso resultou a em indisponibilidade em parte de seus sistemas e operação, mas a equipe prontamente acionou seus protocolos de controle e segurança para bloquear o ataque e minimizar eventuais impactos”, afirmou.

O ataque teria sido relacionado, segundo portais de notícias, a um ransomware, que age como um “sequestrador do mundo virtual”, criptografando arquivos presentes em um sistema. Os hackers teriam pedido US$ 1 bilhão para liberar os dados.

“A companhia atua de forma diligente e com foco para mitigar os efeitos causados, com a maior parte das operações já restabelecidas e tendo sido verificado que os principais bancos de dados permanecem preservados”, disse a Renner.

JBS (JBSS3) emite títulos de dívida com subsidiária

A JBS (JBSS3), através da sua subsidiária americana Pilgrim’s, emitiu US$ 900 milhões em notas sêniores, com remuneração de 3,50% ao ano e vencimento em 2032.

“A Pilgrim’s Pride Corporation pretende utilizar os recursos da oferta juntamente com recursos advindos de outras linhas de crédito para financiar a aquisição previamente anunciada dos negócios de alimentos preparados(Kerry Meats) e refeições (Kerry Meals) da Kerry Consumer Foods no Reino Unido e na Irlanda”, contou a empresa.

Fras-Le (FRAS3) lança nova linha de produtos

A Fras-Le, fabricante de autopeças, anunciou que lançou uma nova linha de produtos, a “Fras-le Smart Composities”, desenvolvidos em materiais compósitos – compostos por duas ou mais fases, sendo essas de diferentes propriedades químicas e físicas.

“Estes materiais possuem alto desempenho e trazem ganhos expressivos na redução de peso, pelo uso de designs funcionais, flexíveis e inovadores, engenharia especializada e inteligência de aplicações, contribuindo na redução de emissão de gases poluentes”, defendeu.

Eletrobras (ELET3) receberá R$ 81,2 milhões por Boa Vista Energia

A Eletrobras (ELET3) anunciou que, no segundo período de fiscalização da Boa Vista, sua subsidiária, a Aneel acatou parcialmente aquilo que era cobrado pela companhia: o reembolso de R$ 30,9 milhões pela conta de consumo de combustíveis (CCC) entre o período de julho de 2016 a abril de 2017 e de R$ 1,2 milhão com correções utilizando a Selic.

“Assim, o resultado, ainda preliminar, do 2º período de fiscalização da Boa Vista, negativo em R$ 29,7 milhões, se soma ao resultado definitivo do primeiro período de fiscalização da distribuidora (positivo em R$ 110,9 milhões), totalizando R$ 81,2 milhões”, afirmou a Eletrobras no documento.

Além da Gerdau, outros M&As: Bionexo adquire 40% da Manager Saúde

Além da Gerdau, outras duas companhias anunciaram movimentações de fusões ou aquisiões (M&As).

A Bionexo, multinacional brasileira que oferece produtos digitais de gestão a negócios da área da saúde, adquiriu 40% das quotas representativas do capital da Manager Saúde, empresa especializada no desenvolvimento de sistemas de integração, workflow de vendas e soluções de Business Intelligence. Com isso, a Bionexo fica com 100% da empresa, uma vez que já possuía os 60% restantes.

Além disso, a Armac (ARML3), companhia do setor de logística, adquiriu 100% da Rental Company, de locação de plataformas elevatórias por R$ 25,6 milhões, com três milhões destes a serem quitados em 24 meses.

“Com uma frota composta por 354 máquinas, com idade média de 4 anos, a Rental Company do Brasil apresentou uma receita bruta anualizada de R$ 19,0milhões em julho de 2021 vs. R$ 15,4 milhões no ano de 2020”, comentou.

A ideia é diversificar o negócio, capturar sinergias e conseguir uma escala mínima em plataformas elevatórias.