G7 se compromete a restaurar crescimento econômico

Cláudia Zucare Boscoli
Jornalista formada pela Cásper Líbero, com pós-graduação em Jornalismo Econômico pela PUC-SP, especialização em Marketing Digital pela FGV e extensão em Jornalismo Social pela Universidade de Navarra (Espanha), com passagens por IstoÉ Online, Diário de S. Paulo, O Estado de S. Paulo e Editora Abril.
1

Crédito: Reprodução/Pixabay

Em reunião por teleconferência na segunda-feira (16), os líderes do G7 afirmaram que o que for necessário para restaurar o crescimento econômico global. O grupo dos países mais industrializados do mundo se reuniu virtualmente para debater a crise decorrente da pandemia de coronavírus.

Os líderes de Alemanha, Canadá, Estados Unidos, França, Itália, Japão e Reino Unido classificaram a pandemia como uma “tragédia humana” e enfatizaram a necessidade de “unir forças” para minimizar os prejuízos.

“A pandemia de Covid-19 é uma tragédia humana. É uma crise de saúde global, que também traz riscos para a economia mundial”, afirmaram em comunicado à imprensa.

O grupo se comprometeu a apoiar “de maneira imediata” trabalhadores, empresas e os setores mais afetados. “Resolvemos coordenar medidas e fazer o que for necessário. Vamos usar todas as ferramentas de política monetária, para alcançar um forte crescimento nas economias do G7. E para salvaguardar a todas contra os riscos negativos”, disseram, segundo a EBC.

Os ministros de Finanças dos sete países coordenarão, semanalmente, a implementação de medidas emergenciais.