Futuros de NY sobem à espera de balanços do JPMorgan, Wells Fargo e Citigroup

Osni Alves
Jornalista desde 2007. Passou por redações e empresas de comunicação em SC, RJ e MG. E-mail: oalvesj@gmail.com.
1

Os Futuros de Nova York sobem à espera de balanços do JPMorgan, Wells Fargo e Citigroup, que devem ser divulgados nas próximas horas, abrindo a temporada de resultados referentes ao quarto trimestre de 2021.

Às 6h55, o Dow Jones subia 0,29%, o S&P 500 subia 0,25%, e a Nasdaq subia 0,21%.

Na Europa, o DAX, da Alemanha, caía 0,72%, o FTSE 100, de Londres, caía 0,23%, e o CAC 40, da França, caía 0,55%. Já o FTSE MIB, da Itália, caía 0,97%, e o Stoxx600 caía 0,72%.

Na Ásia, o Nikkei, do Japão, caía 1,28%, o Shanghai, de Xangai, caía 0,96%, e o HSI, de Hong Kong, caía 0,19%. Já o ASX200, da Austrália, caía 1,08%, e o Kospi, da Coréia do Sul, caía 1,36%.

Do lado das commodities, o petróleo tipo Brent subia 0,52%, cotado a US$ 85,55, e o tipo WTI subia 0,73%, cotado a US$ 82,72. O ouro, por sua vez, subia 0,12%, cotado a US$ 1.823,50, e o minério caía 2,30%, cotado a US$ 113,74.

O que tá rolando?

Nos Estados Unidos, uma série de dados econômicos começarão a ser divulgados nesta sexta (14), incluindo os números de vendas no varejo de dezembro.

A expectativa do mercado é de um declínio de 0,1%, de acordo com estimativas compiladas pela Dow Jones. Durante novembro, as vendas aumentaram 0,3%, mais lento do que os 0,9% que os economistas esperavam.

Também serão divulgados os números da produção industrial, bem como os números do sentimento do consumidor.

Vale lembrar que estes relatórios chegam enquanto os investidores observam atentamente todas as últimas leituras de inflação. O índice de preços ao produtor subiu 0,2% mês a mês em dezembro. As informações são da CNBC.

Europa

Na Europa, as ações recuaram nesta sexta, com uma nova rodada de comentários agressivos de autoridades do Federal Reserve (Fed) ressurgindo expectativas de aperto iminente da política monetária.

Isso porque ontem vários formuladores de política do Fed sinalizaram que poderiam estar preparados para começar a aumentar as taxas de juros dos EUA em março, com a inflação agora em 7%. A taxa subiu no ritmo mais rápido de 12 meses em quase 40 anos em dezembro.

E o caso Rússia-Ucrânia não sai do radar do mercado que não houve consenso nos encontros promovidos em Genebra (Suíça) esta semana.

Ásia

Na Ásia, o Citi deve vender seus negócios de varejo em quatro países do Sudeste Asiático – Indonésia, Malásia, Tailândia e Vietnã – ao credor de Cingapura United Overseas Bank (UOB).

Segundo a CNBC, os negócios de consumo do Citi tinham um valor total de ativos líquidos de cerca de US$ 4 bilhões de dólares de Cingapura (US$ 2,9 bilhões).

Também disse que a oferta em dinheiro para a aquisição proposta será calculada com base em um prêmio agregado equivalente a US$ 915 milhões de dólares de Cingapura, mais o valor patrimonial líquido dos negócios de consumo.

Brasil

No Brasil, o Banco Central alega que a inflação importada reflete na elevação dos preços internamente. A informação é da Folha de S.Paulo.

Acontece que no ano a inflação acumulou alta de 10,06%, 6,31 pontos percentuais acima do centro da meta definida pelo CMN (Conselho Monetário Nacional), de 3,75% com tolerância de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo.

Assim, segundo a carta divulgada na terça-feira (11), a inflação importada contribuiu em 69% para desvio da meta no período, o equivalente a 4,38 pontos percentuais.

Já O Globo destaca que o governo avalia que a concessão do Auxílio Brasil (novo Bolsa Família) de R$ 400 vai ser crucial para sustentar o consumo das famílias e ajudar no crescimento da economia neste ano.

Entretanto, analistas e instituições financeiras estimam um crescimento próximo de zero para o país neste ano. Nesta semana, o Banco Mundial reduziu de 2,5% para 1,4% a projeção de crescimento da economia brasileira em 2022.

Já o Boletim Focus, do Banco Central, elenca que o mercado projeta um PIB de 0,28% para o Brasil em 2022. O governo, oficialmente, ainda trabalha com uma previsão de 2,1%.

Ibovespa: empresas

O Ibovespa encerrou a sessão do dia 13 em queda de 0,15%, aos 105.529,50 pontos, e o dólar à vista em queda de 0,10%, cotado em R$ 5,5295.

  • Confira as 3 maiores altas do dia 13:

📈#MRFG3  +5,18%  (R$ 22,74)

📈#PRIO3  +3,09%  (R$ 22,02)

📈#BEEF3  +3,06%  (R$ 10,10)

  • Confira as 3 maiores baixas do dia 13:

📉#BIDI11  -9,87%  (R$ 22,10)

📉#LWSA3  -8,38%  (R$ 8,75)

📉#BIDI4  -8,28%  (R$ 7,53)

Mercados de Nova York

  • Dow Jones: +0,29%
  • S&P: +0,25%
  • Nasdaq: +0,21%

Mercados Europa

  • DAX, Alemanha: -0,72%
  • FTSE, Reino Unido: -0,23%
  • CAC, França: -0,55%
  • FTSE MIB, Itália: 0,97%
  • Stoxx 600: -0,72%

Mercados Ásia

  • Nikkei, Japão: -1,28%
  • Xangai, China: -0,96%
  • HSI, Hong Kong: -0,19%
  • ASX 200, Austrália: -1,08%
  • Kospi, Coreia: -1,36%

Petróleo

  • Brent (dezembro 2021): US$ 85,55 (+0,52%)
  • WTI (novembro 2021): US$ 82,72 (+0,73%)

Ouro

  • Ouro futuro (dezembro 2021): US$ 1.823,50 (+0,12%)

Minério de ferro

  • Bolsa de Dalian: US$ 113,74 (-2,30)