Futuros de NY operam em queda no aguardo de balanços de bancos e de acordo China e EUA

Cláudia Zucare Boscoli
Jornalista formada pela Cásper Líbero, com pós-graduação em Jornalismo Econômico pela PUC-SP, especialização em Marketing Digital pela FGV e extensão em Jornalismo Social pela Universidade de Navarra (Espanha), com passagens por IstoÉ Online, Diário de S. Paulo, O Estado de S. Paulo e Editora Abril.

Crédito: Reprodução/Pixabay

Depois de renovarem suas máximas históricas na véspera (Dow Jones com +0,29%, S&P +0,70% e Nasdaq +1,04%), os mercados futuros amanheceram esta terça-feira em queda. Às 5h50, Dow Jones marcava -0,42%; S&P -0,40% e Nasdaq -0,44%.

Os investidores estão de olho nos ganhos dos grandes bancos. Citigroup, J.P. Morgan Chase e Wells Fargo devem anunciar seu balanços do quarto trimestre de 2019 antes da abertura. A Delta Airlines também deve atualizar os investidores nesta terça-feira.

O mercados repercute ainda a decisão dos EUA de remover a China de uma lista de países “manipuladores cambiais”. O anúncio ocorreu às vésperas da assinatura da primeira fase do acordo comercial entre os dois países, aguardada para quarta-feira, 15.

Em sentido contrário à euforia da assinatura do acordo sino-americano, o South China Morning Post afirmou que a guerra comercial “ainda não acabou” e que a cerimônia de assinatura de amanhã é apenas a “primeira rodada de um jogo”.

Ásia

Bolsas asiáticas fecharam em mistas nesta terça-feira, com a proximidade da assinatura do acordo comercial e o anúncio de que os EUA retiraram a China de sua lista de “manipuladores de moeda” – o que levou o yuan a se valorizar frente ao dólar.

Uma das formas mais eficientes de identificarmos o nosso perfil de investidor, é realizando um teste de perfil.

Você já fez seu teste de perfil? Descubra qual seu perfil de investidor! Teste de Perfil

Europa

Mercados europeus acompanham os futuros de Nova York e começaram a terça em queda.