Futuros de NY operam em queda e demais mercados seguem mistos

Osni Alves
Jornalista desde 2007. Passou por redações e empresas de comunicação em SC, RJ e MG. E-mail: oalvesj@gmail.com.
1

Os Futuros de Nova York operam em queda na manhã desta quarta-feira (24), e os demais mercados seguem mistos. Às 6h50, o Dow Jones caía 0,15%, o S&P 500 caía 0,12% e a Nasdaq caía 0,07%.

Na Europa, o DAX, da Alemanha, caía 0,11%, o FTSE 100, de Londres, subia 0,34%, e o CAC 40, da França, subia 0,01%. Já o FTSE MIB, da Itália, subia 0,57%, e o Stoxx 600 subia 0,33%.

Na Ásia, o Nikkei, do Japão, caía 1,58%, o Shanghai, de Xangai, subia 0,10%, e o HSI, de Hong Kong, subia 0,14%. Já o ASX 200, da Austrália, caía 0,15%, e o Kospi, da Coréia do Sul, caía 0,10%.

Do lado das commodities, o petróleo tipo Brent subia 0,27%, cotado a US$ 82,53, e o tipo WTI subia 0,34%, cotado a US$ 82,59. Já o ouro subia 0,45%, cotado a US$ 1.791,80, e o minério de ferro subia 5,84%, cotado a US$ 96,536.

O que tá rolando?

Nos Estados Unidos, a divergência nos setores mudou junto com os rendimentos do Tesouro, que tem aumentado desde a renomeação de Jerome Powell pelo presidente Joe Biden como presidente do Federal Reserve na última segunda. A informação é da CNBC.

Também disse que os preços do petróleo podem subir ainda mais, apesar do país e outros grandes consumidores liberarem milhões de barris do produto de suas reservas para tentar manter os preços da energia baixos.

A tendência é não funcionar, visto que as reservas estratégicas de petróleo existem apenas para compensar interrupções inesperadas no fornecimento de curto prazo. A medida se faz necessária porque os preços do petróleo saltaram mais de 50% este ano, com a demanda ultrapassando a oferta.

Na Europa, a população aguarda uma decisão das autoridades sobre as medidas mais rígidas de contenção da quarta onda do novo coronavírus, principalmente pelo aumento nos casos na França, que registrou mais de 30 mil novas infecções diárias ontem.

Em relação a economia, os dados mais recentes das atividades de negócios da região mostram que a atividade empresarial da zona do euro cresceu inesperadamente em novembro. O índice do gerente de compras composto (PMI) da IHS Markit, um indicador útil da saúde econômica, subiu de 54,2 em outubro para 55,8 em novembro.

Na Ásia, a economia de Cingapura cresceu 7,1% no terceiro trimestre em comparação com o ano anterior, de acordo com o Ministério do Comércio e Indústria. Foi mais alto do que uma estimativa antecipada oficial anterior de 6,5% de crescimento anual.

Brasil

A Petrobras limitou a entrega de combustíveis a distribuidoras pelo segundo mês. Isso porque a petroleira vê nova “demanda atípica” e já comunicou ao mercado que não atenderá todos os pedidos de entregas de produtos em dezembro. A informação é da Folha de S.Paulo.

Em relação ao Auxílio Brasil, que continua no noticiário, o Estadão destaca que a possibilidade de correção automática pela inflação abriu um impasse na Câmara com o governo.

Entretanto, pesquisadores da área social apontaram que as mudanças incluídas no texto pelo relator da medida provisória (MP) que cria o novo programa social, deputado Marcelo Aro (PP-MG), foram positivas e transformam a assistência social num direito efetivo no país.

Também informa que o Banco Central (BC) está perdendo o controle das expectativas de inflação de longo prazo, num processo que poderá ter um custo importante em termos de alta na taxa básica de juros e de perda de crescimento da economia.

Ibovespa: empresas

O Ibovespa encerrou a sessão do dia 23 em alta de 1,50%, aos 103.653,82 pontos, e o dólar à vista em alta de 0,27%, cotado a R$ 5,6087.

  • Confira as 3 maiores altas do dia 23:

📈#BRKM5  +6,68%  (R$ 50,12)

📈#PETR4   +5,46%  (R$ 27,80)

📈#PRIO3 +5,29% (R$ 22,67)

  • Confira as 3 maiores quedas do dia 23:

📉#CASH3  -5,43%  (R$ 3,48)

📉#TOTS3   -4,98%  (R$ 31,45)

📉#PETZ3   -4,02%  (R$ 18,37)

Mercados de Nova York

  • Dow Jones: -0,15%
  • S&P: -0,12%
  • Nasdaq: -0,07%

Mercados Europa

  • DAX, Alemanha: -0,11%
  • FTSE, Reino Unido: +0,34%
  • CAC, França: +0,01%
  • FTSE MIB, Itália: +0,57%
  • Stoxx 600: +0,33%

Mercados Ásia

  • Nikkei, Japão: -1,58%
  • Xangai, China: +0,10%
  • HSI, Hong Kong: +0,14%
  • ASX 200, Austrália: -0,15%
  • Kospi, Coreia: -0,10%

Petróleo

  • Brent (dezembro 2021): US$ 82,53 (+0,27%)
  • WTI (novembro 2021): US$ 82,59 (+0,34%)

Ouro

  • Ouro futuro (dezembro 2021): US$ 1.791,80 (+0,45%)

Minério de ferro

  • Bolsa de Dalian: US$ 96,536 (+5,84%)