Futuros de NY operam em queda e demais mercados seguem mistos nesta terça

Osni Alves
Jornalista desde 2007. Passou por redações e empresas de comunicação em SC, RJ e MG. E-mail: oalvesj@gmail.com.
1

Os futuros de Nova York operam em queda na manhã desta terça-feira (16), e os demais mercados seguem mistos. A tendência é de baixa em todas as praças.

Às 6h49, o Dow Jones caía 0,05%, o S&P 500 caía 0,10%, e a Nasdaq caía 0,08%. Já na Europa, o DAX, da Alemanha, subia 0,17%, o FTSE 100, de Londres, caía 0,13%, e o CAC 40, da França, subia 0,20%. Já o FTSE MIB, da Itália, caía 0,05%, e o Stoxx 600 subia 0,17%.

Na Ásia, o Nikkei, do Japão, subia 0,11%, o Shanghai, de Xangai, caía 0,33%, e o HSI, de Hong Kong, subia 1,27%. Já o Kospi, da Coréia do Sul, caía 0,08%, e o ASX 200, da Austrália, caía 0,67%.

Do lado das commodities, o petróleo tipo Brent subia 0,44%, cotado a US$ 82,41, e o WTI subia 0,45%, cotado a US$ 80,11. O ouro subia 0,46%, cotado a US$ 1.875,70, e o minério de ferro caía 1,10%, cotado a US$ 84,689.

O que tá rolando?

O mercado amanhece de olho em dois fatores distintos: os dados econômicos dos Estados Unidos, a serem divulgados ao longo desta terça, bem como a repercussão da reunião virtual entre os presidentes dos Estados Unidos e China.

Em relação aos dados, trata-se dos números das vendas no varejo de outubro, cuja estimativa está em um acréscimo de 1,5% no mês passado, ante 0,7% em setembro. Também diz respeito aos números da produção industrial, bem como a pesquisa do índice de mercado imobiliário.

O outro fator está relacionado à reunião virtual entre Joe Biden e Xi Jinping, ocorrida na segunda-feira, mas com as notas sendo divulgadas à tarde, noite e madrugada, por conta do país asiático.

O encontro em ambiente digital foi marcado pela cordialidade e pautado pela busca do consenso acerca de medidas ativas para fazer as relações China-EUA avançarem em uma direção positiva. O presidente chinês, por exemplo, enfatizou a necessidade de uma relação “sólida e estável” entre os dois países.

Xi Jinping elencou ainda, princípios de respeito mútuo, coexistência pacífica e cooperação ganha-ganha. Ele ainda comparou os dois países a dois grandes navios, que precisam avançar juntos sem colidir.

Estados Unidos – Europa

Vale lembrar que na tarde de segunda o presidente dos Estados Unidos sancionou o projeto de infraestrutura bipartidário de US$ 1 trilhão. O pacote inclui financiamento para transporte, banda larga e serviços públicos. A informação é da CNBC.

Já na Europa, as tensões estão aumentando devido ao suposto aumento de tropas da Rússia na fronteira com a Ucrânia.

Também há uma crise de imigrantes nas fronteiras da Bielo-Rússia com a Polônia, Letônia e Lituânia.

Em relação ao Reino Unido, as folhas de pagamento aumentaram após o fim do esquema de licença do país em outubro. A impressão positiva deve acalmar alguns dos temores do Banco da Inglaterra sobre o aperto da política monetária.

Há, ainda, as leituras de emprego e PIB da zona do euro no terceiro trimestre que serão publicadas no meio da manhã.

Brasil

No Brasil, o novo Auxílio Brasil começa a ser pago na quarta-feira (17) com aumento de 17,8% no valor médio (para R$ 217,18) em relação ao antecessor Bolsa Família.

Segundo a Folha de S.Paulo, para chegar ao mínimo anunciado de R$ 400, o governo pretende concentrar forças para aprovar a PEC (proposta de emenda à Constituição) dos Precatórios.

Outros dois pontos que devem tomar conta do noticiário dizem respeito ao aumento aos policiais que o chefe do Executivo pretende conceder, via PEC dos Precatórios, e um levantamento do Instituto de Pesquisa e Economia Aplicada (Ipea) mostra que a diferença entre inflação de pobres e ricos só deve cair em 2022.

Do lado corporativo, o Estadão informa que o Mercado Livre vai brigar com Magalu e Via no segmento linha branca, e a Cemig pretende vender a Taesa e abrir capital da Gasmig em 2022.

Ibovespa: empresas

O Ibovespa encerrou a sessão de sexta-feira (12) em baixa de 1,17%, aos 106.334,54 pontos.

  • Confira as 3 maiores altas do dia 12:

📈#AMER3   +5,83%  (R$ 37,40)

📈#LAME4   +5,61%  (R$ 6,59)

📈#CRFB3    +3,15%  (R$ 17,35)

* Confira as 3 maiores baixas do dia 12:

📉#MGLU3   -18,32%  (R$ 11,15)

📉#NTCO3    -17,54%  (R$ 33,00)

📉#CASH3    -9,37%  (R$ 3,87)

Mercados de Nova York

  • Dow Jones: -0,05%
  • S&P: -0,10%
  • Nasdaq: -0,08%

Mercados Europa

  • DAX, Alemanha: +0,17%
  • FTSE, Reino Unido: -0,13%
  • CAC, França: +0,20%
  • FTSE MIB, Itália: -0,05%
  • Stoxx 600: +0,17%

Mercados Ásia

  • Nikkei, Japão: +0,11%
  • Xangai, China: -0,33%
  • HSI, Hong Kong: +1,27%
  • ASX 200, Austrália: -0,08%
  • Kospi, Coreia: -0,67%

Petróleo

  • Brent (dezembro 2021): US$ 82,41 (+0,44%)
  • WTI (novembro 2021): US$ 80,11 (0,45%)

Ouro

  • Ouro futuro (dezembro 2021): US$ 1.875,70 (+0,46%)

Minério de ferro

  • Bolsa de Dalian: US$ 84,689 (-1,10%)