Fundos Imobiliários: após Covid-19, há cotas de FIIs pela metade do preço

Paulo Filipe de Souza
Colaborador do Torcedores
1

Crédito: Divulgação/XP

Os impactos econômicos causados pelo Covid19 não ficam somente no mercado de ações, os Fundos Imobiliários que ganharam popularidade como opção de investimento também sentem os efeitos.

Com uma série de medidas preventivas sendo tomadas para evitar o avanço do vírus no país. Na maior cidade do país, por exemplo, shoppings devem permanecer fechados até abril. Notícia que já ecoou nos Fundos Imobiliários do segmento de shoppings.

Mesmo que seja muito cedo para prever um final para epidemia, já se sabe que a economia global não deve crescer o que era previsto para esse ano.

Participe do maior evento de investimentos da América Latina

A China tem grande parte dos negócios paralisados há semanas. A Europa está com a população isolada em quarentena. Nos Estados Unidos, voos não entram de diversos países. E, no Brasil, o coronavírus multiplica em número de casos. Cenário que deixou investidores, assessores e o mercado cheio de incertezas.

Diversos fundo tiveram redução nos preços das cotações. Isso também provocou o saque desses papéis. De janeiro até agora, os FII’s já tiveram uma perda de R$ 3,28 bilhões em valor de mercado na Bolsa de Valores.

Comprando um imóvel pela metade do preço

Com as incertezas globais, o mercado imobiliário tem fundos ficando muito baratos. Isso tem uma explicação que simples e importante.

No ano passado, o iFix – índice – teve uma alta recorde no mês de dezembro de 10,6%. Nos meses anteriores, o mesmo índice atingia valorizações de 2%, 3% e 4% ao mês. Em um cenário de cortes nas taxas de juros, os FII tinham um retorno que chamava atenção.

E isso acabou se confirmando. No mês de novembro, eram 570 mil CPFs registrados comprando Fundos Imobiliários. Em dezembro, já eram 632 mil. Um crescimento rápido e poucas semanas.

Essa procura causou uma valorização nos preços das cotas. O que tem acontecido agora é que os preços estão retomando a patamares encontrados antes do “boom dos FII’s”.

Isso tem causado um efeito, o valor das cotações agora está menor que o valor do patrimônio por cota. Em resumo, o preço de um fundo está menor que o preço do patrimônio dele.

É como se um imóvel estivesse sendo vendido pela metade do preço. Isso acontece porque as incertezas do mercado acabam deixando o mercado em tensão.

Eu separei os Fundos Imobiliários que mais sofreram com esse fenômeno. Os dados das cotações foram consultados na noite de ontem, 18/03/ 2020.

O EURO11, por exemplo, é um fundo que investe em galpões logísticos para locação. Com um patrimônio líquido de R$ 120 milhões, o valor do patrimônio por cota é de R$306,08, mas a cotação atual é de pouco mais de R$140.

Neste caso, o valor atual da cotação é a metade do valor do patrimônio por cota. O EURO11 está sendo vendido pela metade do patrimônio.

Outro Fundo Imobiliário que está sendo vendido pela metade do valor patrimonial é o EDGA11. O FII atua no setor de escritórios corporativos. A cotação atual é de R$38,40, já o valor do patrimônio por conta é de R$ 78,65.

Assim como esses, há outros FII que estão sendo vendidos por um preço abaixo do valor patrimonial. Na tabela acima você consegue ter uma ideia melhor da diferença de preço desses fundos.

Isso quer dizer que as cotas deste FII estão saindo pela metade. Na tabela, é possível ver essa diferença em diversos Fundos de Investimento. Basta comparar a cotação atual com o valor do patrimônio por cota.

Apesar do preços mais baratos, antes de comprar qualquer Fundo Imobiliário, lembre-se que o cenário atual é de incertezas. Essa análise pode ser usada para você aumentar o número de cotas que já possui, por exemplo.