Investidores em fundos imobiliários chegam a 1 milhão; veja mais notícias

Felipe Moreira
Especialista em Mercado de Capitais e Derivativos pela PUC - Minas, com mais de 7 anos de vivência no mercado financeiro e de capitais. Apaixonado por educação financeira e investimentos.
1

A indústria de fundos de investimento imobiliário (FII) no país ultrapassou a marca de um milhão de investidores, conforme reportagem do Valor.

Do final do ano passado até agosto, o número de investidores em FIIs subiu 60,4%. De acordo com especialistas, os juros baixos continuarão sustentando a migração de investimentos mais conservadores para o risco, o que beneficia o segmento.

Além disso, o recebimento dos aluguéis mensais, na forma de dividendos, também atrai os investidores.

Conheça a FinTwit, o maior fórum de finanças do mundo.

Hoje o Twitter é pauta na Money Week.

Huawei diz que banimento fará brasileiro pagar mais caro por 5G

A Huawei é alvo de uma disputa entre EUA e China, por isso corre o risco de ser banida do fornecimento de equipamentos para redes de 5G no Brasil devido a proximidade entre Jair Bolsonaro e o presidente dos EUA, Donald Trump, conforme reportagem da Folha de S.Paulo.

O presidente da Huawei, Sun Baocheng disse a Folha de S.Paulo que, sem a Huawei, a evolução da tecnologia de quinta geração (5G) demoraria até quatro anos para ser iniciada porque as teles teriam de trocar todos os equipamentos, que não conversam com o 5G dos concorrentes. Isso tornaria a evolução da telefonia mais cara para os brasileiros.

Varejo investe na expansão de rede física

Apesar da pandemia ter alavancado investimentos no comércio online, gigantes do varejo têm investido na expansão da rede física, segundo reportagem do jornal O Globo.

A justifica é permitir o consumidor experimentar o produto, mas a loja física também se tornou ponto importante para a logística.

Brasil e EUA devem formalizar acordo de simplificação

A chegada nesta semana da delegação americana chefiada pelo presidente do Conselho de Segurança Nacional (CSN), o embaixador Robert O´Brien, aumenta as expectativas em torno da conclusão das negociações entre os países sobre o acordo de facilitação do comércio, segundo reportagem do Valor.

O acordo prevê medidas de simplificação aduaneira, padronização de regras para e-commerce, adoção de boas práticas regulatórias e definição de normas anticorrupção.

A formalização do acordo ainda em 2020 é importante para o Brasil diante da incerteza sobre a reeleição de Donald Trump.

Isso porque com a vitória de Joe Biden, o governo brasileiro poderia enfrentar atrasos ou dificuldades de fechar a negociação, dada a afinidade declarada de Bolsonaro com Trump.

Digitalização deve acelerar eliminação de trabalhos repetitivos

O processo de digitalização das empresas acelerado pela pandemia do novo coronavírus deve eliminar trabalhos repetitivos e sem qualificação, conforme reportagem do Estadão.

As empresas tiveram que se reinventar para continuarem e um dos efeitos colaterais foi a redução de pessoal.

Algumas vagas cortadas durante a pandemia correm o risco de desaparecer. Por outro lado, outras atividades começam a surgir no mercado, exigindo novas qualificações.

PIB da China avança 4,9% no terceiro trimestre

A China registrou alta de 4,9% do PIB no terceiro trimestre de 2020 na comparação com igual período do ano passado, conforme dados do Escritório Nacional de Estatísticas (NBS) do país.

No entanto, o resultado veio aquém do esperado pelo mercado, que esperava alta de 5,3% no trimestre, de acordo com reportagem do jornal Valor.

Brasil pode voltar à lista negra da OIT

A quantidade de reclamações apresentadas na Organização Internacional do Trabalho (OIT) contra o governo do presidente Jair Bolsonaro subiu nas últimas duas semanas e ameaça provocar uma nova colisão entre o governo e a entidade, de acordo com o jornal Valor.

As contestações foram realizadas por sindicatos brasileiros e associações internacionais de trabalhadores. Isso pode levar o país a figurar novamente numa lista negra de violação de convenções trabalhistas no começo de 2021 na OIT.

Projeto pode conceder mais prazo para empresários do Simples Nacional

No Congresso, está em discussão lei que daria mais prazo para empresas do Simples Nacional que precisaram postergar o pagamento de impostos por causa da pandemia. A matéria é do Estadão.

O objetivo é conceder mais prazo aos pequenos empresários para quitar suas dívidas, com possibilidade de parcelamento sem encargos.

A União já havia paralisado a cobrança de tributos, mas previu a cobrança dos atrasados ainda neste ano.

Metroferroviários estimam déficit de R$ 7,4 bilhões em 2020

Apesar da retomada das atividades no país, operadores de sistemas de metrô, trens urbanos e Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) lidam com a fraca demanda de passageiros e recuperação lenta. Com informações do jornal Valor.

Dessa forma, a ANPTrilhos, associação que reúne operadores públicos e privados, projeta perdas R$ 7,4 bilhões nas receitas tarifárias do setor neste ano.

Já em relação ao volume de passageiros, a entidade espera iniciar 2021 com uma redução de aproximadamente 30%.

Municípios não gastaram metade dos recursos para Covid-19

De acordo com apuração do jornal Valor, os munícipios pode terminar 2020 se usar metade dos recursos destinados ao combate da pandemia. A cifra disponível é estimada em R$ 21 bilhões.

A União repassou aos munícipios R$ 42,2 bilhões em 2020.

Os prefeitos desejam mais tempo para utilização dos recursos e que o dinheiro para Covid-19 possa ser usado em outras áreas da saúde.

Alta do INPC pode afetar a manutenção de serviços públicos

O governo utilizou uma previsão para INPC de 2,09% para formulação da proposta orçamentária. No entanto, as projeções apontam que o índice ficará acima de 3%, podendo chegar a 3,2%. As informações são do Valor.

Estima-se que o aumento de 0,1 ponto percentual no INPC gera acréscimo de R$ 768,3 milhões nas despesas da União. Isso ocorre porque o INPC reajusta o salário mínimo, que é o piso dos benefícios previdenciários e assistenciais, bem como os benefícios previdenciários com valor acima de um salário mínimo.

Dessa forma, se o INPC ficar em 3,2%, as despesas aumentarão cerca de R$ 8,53 bilhões.

Além disso, o Congresso deverá derrubar o veto do presidente Jair Bolsonaro à manutenção da desoneração da folha de salários de 17 setores da economia, a despesa será elevada em mais R$ 4,9 bilhões, de acordo com fontes oficiais.

Segundo especialistas, o patamar é insuficiente para manter todos os serviços públicos.

Isso porque o Tesouro é obrigado a compensar a Previdência Social pela eventual perda de receita com a desoneração. A compensação é considerada uma despesa.

O teto de gastos da União para 2021 foi reajustado em 2,13% e não vai aumentar mais do que isso, mesmo com o aumento da inflação. A despesa total da proposta orçamentária de 2021 foi fixada no limite do teto. Portanto, qualquer elevação da despesa terá que ser compensada pelo corte em outras.

Atualização Covid-19

O Brasil teve 230 óbitos confirmados por Covid-19 nas últimas 24 horas, elevando o total de vítimas a 153.905. Os novos casos positivados foram 10.982, de um total de 5.235.344.