Fundos imobiliários: é o momento de investir?

Felipe Moreira
Felipe Moreira é Graduado em Administração de empresas e pós-graduado em Mercado de Capitais e Derivativos pela PUC - Minas, com mais de 6 anos de vivência no mercado financeiro e de capitais. Apaixonado por educação financeira e investimentos.
1

Crédito: Reprodução/Pixabay

Diante do cenário incerto provocado pela pandemia de coronavírus, muitos investidores ficam na dúvida se devem investir em fundos imobiliários (FII).

Para Renato Santos, assessor de investimentos da EQI Investimentos, o investidor deve alocar recursos em FII. Isso porque o “patrimônio imobiliário é um ativo real e pagador de dividendos perpétuo”.

Segundo Santos, muitos fundos imobiliários tiveram impactos nesse momento e terão uma reavaliação de dividendos no curto prazo, a exemplo principal são os shoppings, mas nem por isso deixam de ser uma excelente oportunidade nesse momento.

Já para Daniel Caldeira, sócio da Mogno Capital, os FIIs são ativos sólidos que não carregam dívida e tem lastro por trás.

No último mês, as cotações dos fundos imobiliários assim como as ações derreteram, e com isso surgiram algumas barganhas no mercado.

Renato Santos ainda acrescenta que “existem excelentes fundos com valor patrimonial acima do valor de mercado, são esses que o investidor deve concentrar esforço na alocação”. Ou seja, fundos que estejam cotados abaixo do preço dos ativos presentes neles.

Fundo Imobiliário

O fundo imobiliário é uma espécie de “condomínio” de investidores, que reúnem seus recursos para que sejam aplicados em conjunto no mercado imobiliário. A dinâmica mais tradicional é que o dinheiro seja usado na construção ou na aquisição de imóveis, para que sejam locados ou arrendados.

O capital investido no fundo, em forma de cotas, é gerido por um gestor profissional, que escolhe os investimentos mais interessante para o fundo.

Além de imóveis físicos, o fundo imobiliário pode também ter outros investimentos ligados a imóveis, como LCI e CRI ou até mesmo cotas de outros FIIs.

Como valor de um imóvel costuma ser elevado e envolve muita burocracia, optar por FII pode ser uma boa alternativa para o investidor.

Por fim, Daniel Caldeira afirmou que “os fundos imobiliários vão dar retorno. Isso porque o ativo se torna mais seguro e atrativo por conta do cenário atual”.

LEIA MAIS

FII é ativo sólido, sem dívida e com lastro, diz Caldeira, da Mogno Capital

Construtoras fecham em alta após medidas da Caixa para o setor imobiliário