Fundos do Golfo Pérsico buscam novas oportunidades de investimentos

Regiane Medeiros
Economista formada pela UFSC. Produz conteúdo na área de mercado de capitais, finanças pessoais e atualidades.
1

Crédito: Reprodução/Wikimedia

Conforme divulgado pelo jornal Valor Econômico, a crise econômica instalada pelo mundo tem dado a oportunidade para que fundos soberanos do oriente médio adquiram boas barganhas. Dentro desse contexto, fundos como o de Investimento Público da Arábia Saudita e o Mubadala, de Abu Dhabi, têm concentrado esforços para investir em setores que apresentariam rápida recuperação após a crise, como assistência médica, tecnologia e logística.

Segundo a reportagem do Valor, o fundo da Arábia Saudita adquiriu nas últimas semanas grandes investimentos como a operadora de cruzeiros Carnival e as petrolíferas Royal Dutch Shell, Total, Repsol, Equinor e Eni. Na semana passada também, o grupo fechou negócio para a compra do clube inglês de futebol Newcastle United, no valor de 300 milhões de libras esterlinas (US$ 413 milhões).

Já o Mubadala, fundo com US$ 230 bilhões, também estuda ativamente investir na China, Estados Unidos e Europa, em setores como o de tecnologias de ponta nos setores farmacêutico e medicinal. Outros fundos do golfo pérsico também vêm procurando novas oportunidades de investimentos. A Autoridade de Investimentos do Catar, fundo soberano com US$ 320 bilhões, direcionou sua atenção aos países emergentes para comprar participações diretas em empresas da América Latina, África e Ásia. A reportagem do Valor destaca por fim que, apesar da estratégia de adquirir novos ativos, os países do oriente médio também vêm sofrem com os impactos da pandemia pelo coronavírus, sobretudo pela queda abrupta no preço do petróleo nas últimas semanas.