Fundos de Investimentos: setembro interrompe sequência de 5 meses de crescimento no patrimônio líquido

Fernando Augusto Lopes
Redator e editor
1

Crédito: Reprodução / Pixabay

Uma sequência de cinco meses de crescimento do patrimônio líquido dos fundos de ações foi interrompida em setembro, segundo relatório da Economatica, a partir de dados da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e da Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima).

Em abril, os fundos de ações tiveram crescimento de 10,54%. Em maio, o crescimento foi de 7,22%.

A sequência se completa com mais 9,76% (junho), 9,9% (julho), e 0,61% (agosto).

Participe do maior evento de investimentos da América Latina

Setembro interrompeu o bom rendimento, com queda de 3,16% no patrimônio líquido dos fundos.

A captação líquida consolidada no mês de setembro foi de R$ 35,1 bilhões.

Patrimônio líquido dos fundos de investimentos

A maior queda de patrimônio entre os fundos de ações fica por conta dos fundos de small caps, com queda de 6,52%.

Os fundos de Ações Setoriais recuaram 6,46%.

Já os fundos de Ações Dividendos perderam 6,45%.

“Somente os fundos Fechados de Ações registram crescimento com 0,43%”, lembra o relatório.

A captação líquida dos fundos de ações em setembro foi de R$ 4,06 bilhões.

Os fundos de ações investimentos no exterior têm a maior captação com R$ 1,45 bilhão, seguidos pelos fundos de ações-livre, com R$ 1,18 bilhão.

Do lado negativo, ficaram os fundos de dividendos com captação líquida negativa de R$ 202,0 milhões.

Os fundos small caps tiveram queda de R$ 114,2 milhões e os fundos de ações indexados, de R$ 73,8 milhões.

“Na mediana todas as categorias têm rentabilidade negativa no mês de setembro”, afirma o relatório.

“Seis categorias têm rentabilidade na mediana acima do Ibovespa. Os fundos fechados de ações têm o melhor desempenho com relação ao Ibovespa com queda de -3,12% ou 1,68 p.p. acima do Ibovespa. Já o pior desempenho fica por conta dos fundos de mono ação com queda na mediana de -9,07% ou -4,27 p.p. abaixo do Ibovespa”, mostra.

Fundos Multimercados

O relatório informa que o patrimônio dos fundos multimercado registrou crescimento de 0,13% no mês de setembro.

Os fundos Multimercados Estrat. Específica têm o maior crescimento, com 1,68%.

Os mulltimercado long & short direcional têm a maior queda de patrimônio, com 3,02%.

Entretanto, a captação dos fundos multimercado no mês de setembro tem crescimento pelo quinto mês consecutivo.

Em maio, a captação foi de R$ 6,45 bilhões.

Junho ficou com R$ 13,7 bilhões; julho, com R$ 29,4 bilhões; e agosto, com R$ 13,7 bilhões.

Então, setembro conseguiu R$ 5,92 bilhões.

O último resultado negativo nesse quesito foi em abril, com R$ 14,0 bilhões.

Os fundos multimercado juros e moedas são os únicos a registrar rentabilidade positiva no mês de setembro.

Na mediana, a valorização foi quase nada: 0,02%.

O pior desempenho na mediana é dos fundos multimercado long & short direcional, com queda de 1,27%.

Fundos de Renda Fixa

Em setembro os fundos de renda fixa cresceram, apesar da taxa Selic no patamar mais baixo da história.

Conseguiram crescimento de patrimônio pelo quarto mês consecutivo, depois de ver queda em abril e maio.

O patrimônio dos fundos de renda fixa no mês de setembro registra crescimento de R$ 24,3 bilhões, ou 1,11%.

Eles fecham o mês com patrimônio de R$ 2,21 trilhões.

Os fundos de renda fixa dívida externa têm o melhor desempenho em setembro. Na mediana, valorizaram 2,71%.

Treze categorias, na mediana, tiveram rentabilidade inferior ao do CDI no mês de setembro

Previdência

“Os fundos de previdência registram queda de 0,34% e patrimônio de R$ 965,3 bilhões no mês de setembro”, mostra o relatório.

A captação líquida consolidada dos fundos de previdência em setembro é positiva pelo quarto mês consecutivo.

A captação neste mês foi de R$ 1,61 bilhão.

Os fundos de previdência RF Indexados têm a maior captação líquida em setembro com R$ 5,5 bilhões.

Já os fundos RF Duração Livre Soberano têm a maior queda com R$ 3,9 bilhões.

Quinze das dezenove categorias de previdência têm rentabilidade negativa e nenhuma delas têm ganhos acima do CDI.

ETFs e Cambial

Dos fundos de investimentos, os de ETFs (Exchange Traded Funds) registram queda de patrimônio de 0,79% em setembro.

Por outro lado, os fundos cambiais tiveram crescimento de 2,32%.

Entretanto, os cambiais tiveram captação líquida negativa de R$ 29,2 milhões e os de ETF, crescimento de R$ 238,2 milhões.

Análise consolidada dos fundos de investimentos

No ano de 2020, até 30 de setembro, os fundos multimercados registram a maior captação líquida, com R$ 87,4 bilhões.

Os fundos de ações têm R$ 49,1 bilhões de captação e o menor valor é dos fundos cambiais, com R$ 1,10 bilhão.

Nos últimos 12 meses, a captação líquida dos fundos multimercados também é a maior, com R$ 108,0 bilhões.

Os fundos de ações conseguiram R$ 88,3 bilhões.

Do outro lado, os fundos de renda fixa em 12 meses tiveram captação líquida negativa de R$ 26,7 bilhões e a indústria como um todo, captação líquida positiva de R$ 210,0 bilhões.