Fundos de investimentos que amargaram perdas em agosto

Regiane Medeiros
Economista formada pela UFSC. Produz conteúdo na área de mercado de capitais, finanças pessoais e atualidades.
1

Crédito: Mediamodifier / Pixabay

As turbulências no mercado mundial refletiram em muitos fundos brasileiros, entre eles três sofreram grandes desvalorizações

Uma das principais características de um fundo de renda variável é estar expostos a variações no mercado. Dessa forma, é natural que ocorram oscilações tanto para cima quanto para baixo.

Mas, ainda assim, os investidores não esperavam tantas oscilações negativas como as que ocorreram em agosto. Isso porque ¼ dos fundos disponíveis nas corretoras tiveram desvalorização no mês passado.

Entre eles, três fundos chegaram a ter perdas na casa de dois dígitos. São eles: Exploritas Alpha América Latina FIC FIM, da gestora Exploritas, Versa Long Biased FIM, da Versa e Alaska Black BDR Nível I FIC FIA, da gestora Alaska

O que dizem os gestores dos fundos?

Exploritas Alpha América Latina

Esse fundo possuía em sua carteira 8% de ações e 15% em títulos da dívida corporativa da Argentina. Com o resultado das prévias eleitorais no país, o impacto foi sentido imediatamente pelo Exploritas, acumulando um prejuízo de 16,95% em Agosto.

De acordo com o gestor do fundo, Daniel Delabio, a estratégia continua sendo de manter posição em ativos na Argentina. Mas agora posicionado em outros setores mais promissores.

Alaska Black

No fundo Alaska o desempenho também foi muito ruim. Chegando a amargurar perdas de 14,27% em agosto.

A principal estratégia da gestora, montada em câmbio, juros e ações não vingou bons frutos no mês passado.

Como resultado, o câmbio desvalorizou 7,85%, os juros seguiram na direção contrária às expectativas e as ações sofreram perda generalizada, com desempenho pior que o Ibovespa.

Versa Long Biased

No fundo Versa não foi diferente. O retorno em agosto foi negativo em 12,08 %.

Motivado principalmente pelas opções de dólar e de bolsa de valores. Contudo, algumas ações também contribuíram para uma queda acentuada do fundo.

Entre elas está a venda a descoberto dos papeis do Banco Inter e da Magazine Luiza. Ou seja, a gestora dos fundos apostou na desvalorização dessas ações, mas elas seguiram na direção contrária.

O que provocou essa desvalorização?

O mês de agosto não foi fácil para nenhum investimento em renda variável. O Ibovespa chegou a cair em um único dia 2,94%, acumulando uma perda de 0,67% no mês de agosto.

Esse cenário de pessimismo no mercado financeiro foi decorrente, sobretudo, de algumas notícias que mexeram com o mercado financeiro mundial. A saber:

  1. Guerra comercial entre EUA e China:

Não é de hoje que a disputa comercial entre EUA e China vem preocupando o mundo todo. Mas, em agosto as coisas ficaram ainda piores.

Os EUA anunciaram a imposição de tarifas sobre produtos chineses. Em retaliação, a China desvalorizou fortemente sua moeda, a ponto de ser acusada de manipulação cambial. A verdade é que os desdobramentos dessa guerra comercial ainda estão longe de um fim pacífico e ainda vão causar muitas turbulências no mercado financeiro.

  1. Crise política e econômica na Argentina

A situação econômica na Argentina já estava muito ruim antes mesmo das eleições primárias. Em virtude, principalmente da alta taxa de juros e avanço da inflação.

Após os resultados nas urnas então, a situação rolou ladeira abaixo. A bolsa chegou a cair quase 40% em um único dia e o peso argentino fechou o mês com uma desvalorização de mais de 25% no mês passado.