Fundos de Inflação, o que são?

[push h=”30″]

Fundos de Inflação, o que são?

Fundos de Inflação, também chamados de Fundos de tipo Índices pela classificação da ANBIMA, são fundos que só investem em títulos que visam refletir ou superar as variações dos Títulos do Tesouro atrelados a (saiba muito mais sobre inflação), medidos pelos índices IMA e suas variantes. Para estes fundos é permitida a alavancagem e não são permitidas operações com Renda Variável, nem a compra de títulos atrelados a SELIC ou CDI, que só são permitidas para Fundos Referênciados DI ou Fundos de Renda Fixa.

Rentabilidade dos Fundos de Inflação

Basicamente a rentabilidade depende dos Títulos do Tesouro do tipo NTN, a rentabilidade destes títulos é composta por 2 partes. A primeira é referente a a um índice de inflação ( IPCA ou IGPM), mais uma segunda parte pré-fixada que depende da atual SELIC como também do prazo destes títulos.
É justamente esta segunda parte da rentabilidade que deixa um tanto complexo prever a rentabilidade deste tipo de fundo, já que estes títulos flutuam de preço e tem marcação a mercado conforme a SELIC é mexida para cima e para baixo pelo governo.

Sendo um tanto simplista, posso dizer que a rentabilidade destes fundos é maior que a SELIC quando as Taxas de juros estão caindo, e são menores que a SELIC quando as taxas de juros estão subindo, podemos ver este fenômeno olhando as rentabilidades destes fundos em 2012 e 2013. Em 2012 quando os juros foram caindo gradativamente esses fundos tiveram rentabilidades excelentes, já em 2013 quando os juros foram subindo progressivamente estes fundos tiveram rentabilidades muito ruins.

Neste Link você encontra uma explicação detalhada sobre o funcionamento deste tipo de Fundo e sobre os Indices IMA-B, IMA-B 5 e IMA-B 5+.

[slogan button_text=”” background=”accent8″ boxed=”true”][column width=”2/3″ title=”” title_type=”single” implicit=”true”]
Além de aprender mais sobre investimentos, você também pode
Comparar as rentabilidades de todos os investimentos do Brasil!


[/column][column width=”1/3″ last = “true” title=”” title_type=”single” implicit=”true”]Comparativo Fundos de Crédito
[/column][/slogan]

Vantanges

1 – A Longo Prazo, os Fundos de Inflação tem rentabilidades bastante superiores a SELIC / CDI;
2 – Estes fundos tem prazo curto de resgate, apesar de não ser aconselhado investir a curto prazo neles;
3 – Quando as taxas de juros estão caindo, estes fundos geram rentabilidades que muitas vezes chegam a 200% do CDI;

Desvantagens

1 – Em períodos de alta nas taxas de juros, suas rentabilidades podem até ser negativas;
2 – Não são indicados por este motivo para investimentos de curto prazo;
3 – Os fundos de inflação são bem difíceis de prever a rentabilidade;

Quando investir em Fundos de inflação?

Estes fundos só devem receber aportes de investimentos quando a taxa de juros SELIC estiver em tendência de baixa, isso normalmente ocorre quando a economia vai bem e quando a inflação está sob controle.

Você deve investir em Fundos de Inflação, como forma de compor uma carteira de , normalmente é indicado que uma carteira de investimentos tenha na sua parcela de renda fixa uma composição entre: Fundos DI, Fundos Renda Fixa, Fundos de Crédito e de Inflação.
Estes fundos normalmente são um tanto voláteis, devido as constantes manobras do governo com a SELIC, mas ganham do CDI a Longo Prazo.

Exemplos

1 – XP Inflação LP
2 – BTG Pactual IPCA
3 – Apogeo Valorem

Veja um comparativo destes 3 fundos, e veja como eles com frequência superam o CDI ( que está em preto no gráfico), clique na imagem para ver os gráficos atualizados.

Fundos de inflação

Veja o que diz a Anbima (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais) sobre Fundos de Inflação / Fundos Renda Fixa Índices
[push h=”30″]

Close