Fundos de ações: entenda porque incluir o investimento na carteira

Redação EuQueroInvestir
Colaborador do Torcedores
1

Crédito: Imagem/reprodução/andrebona

Investir em fundos é uma boa opção de gestão passiva. Ou seja, um gestor profissional fica responsável pela alocação dos recursos disponíveis. E entre todas as opções existem os fundos de investimentos em ações.

Atingir um patrimônio de R$ 100 mil é para poucos, o que amplia o desafio de busca pelas melhores aplicações para multiplicá-lo

Em resumo, são aplicações que envolvem ações. Assim, sofrem forte oscilação de mercado decorrente de alterações políticas e de cenários econômicos.

O presente artigo tem a missão de explanar melhor o assunto, visto que esses veículos de investimentos são tão importantes. Hoje sua representatividade já é expressiva e, portanto, merecem nossa atenção. Você saberá como eles funcionam, os riscos associados e quais são os tipos existentes. Não perca mais tempo e continue lendo agora mesmo!

O que são e como funcionam os fundos de ações?

Em parte, investir em fundos de ações obedecem a mesma lógica de fazer aplicação em qualquer outro tipo de fundo. Ao aportar um determinado valor, não se compra o ativo em si (que nesse caso seriam as ações). O bem adquirido é uma cota referente a uma pequena parte desse condomínio maior chamado fundo de investimento.

O fundo fará aportes em algum tipo de ativo que seu regulamento predetermina. Para fundos de ações, a carteira deve ser composta por pelo menos 67% de títulos vinculados ao mercado acionário. Entram nessa conta as próprias ações e seus certificados de depósitos, os recibos de subscrição e até mesmo cotas de outros fundos que são classificados como sendo de ações também.

Dados da Anbima mostram como esses tipos de fundos já estão consolidados como opção do público brasileiro. Atualmente eles representam incríveis 10% de toda a indústria de fundos nacional. Tal representatividade mostra que o grau de diversificação da nação é amplo e investimentos de risco têm entrado no portfólio de carteiras de investimento.

Quais são os riscos de um fundo de ações?

Os riscos associados aos investimentos em fundos de ações são os mesmos relacionados à compra direta do ativo por parte de um investidor. Primeiramente, há o risco de mercado, pois ele é inerente à própria operação. Em outras palavras, há oscilação do preço das ações que são afetadas pelos acontecimentos de ordem econômica e política.

Além disso, há o risco de liquidez. Isso acontece no caso em que o emissor das cotas do fundo não honra os pedidos de resgate conforme está descrito no regulamento do fundo. Uma boa maneira de se proteger contra isso é ler cuidadosamente o prospecto de investimentos.

Por fim, há o risco de gestão fraudulenta que, apesar de raro, existe. O ideal é sempre buscar por fundos administrados e geridos por boas instituições no mercado, com nome consolidado e know how já bem fundamentado.

Quais são os principais tipos de fundos de ações existentes?

Os fundos de investimento em ações podem ter sua classificação feita em relação a dois aspectos. O primeiro diz respeito à gestão. Além disso, a classificação pdoe considerar a estratégia. Analisaremos cada uma das opções.

Quanto à gestão

Existem dois possíveis tipos de gestão em um fundo de ações: ativa e passiva. No primeiro caso, a intenção é ter um desempenho melhor do que algum índice de referência ou até mesmo não ter referência nenhuma, o que é mais raro. Já quando o assunto é gestão passiva, o intento do fundo é de replicar algum benchmark usado como parâmetro, como o Ibovespa ou o Índice de Small Caps (SMLL).

Quanto à estratégia

A divisão de tipos de fundos de investimentos em ações referente à estratégia é aplicável apenas aos fundos de gestão ativa. As principais classificações dessa modalidade são apresentadas a seguir.

Crescimento/valor

Essa é uma estratégia de investimentos que se baseia no potencial de crescimento de uma determinada empresa. Para maximizar os resultados, o gestor busca alocar recursos em empresas que estão com o preço de suas ações abaixo do valor patrimonial. Somada essas duas características, os ganhos podem ser explosivos.

Fundos setoriais

Quando um fundo de ações é setorial, significa que sua equipe de especialistas está debruçada sobre um mercado específico dentro da economia nacional. Pode ser o setor elétrico, de bens de consumo ou aviação. O fato é que os esforços do fundo estão concentrados em um único ponto.

Small caps

Na estratégia Small Caps, o objetivo é alcançar a valorização aplicando recursos em empresas pequenas, que estejam fora do índice IBrX 100. Deve ser destinado um percentual de cerca de 85% para ativos desse tipo e os outros 15% restantes podem ser aplicados da forma que o gestor desejar.

Governança

Os ativos que fazem parte do portfólio de um fundo desses devem ser de empresas bem geridas, com alta classificação de governança corporativa e sustentabilidade. Outra característica que deve estar presente é a preocupação com a responsabilidade social no meio em que a empresa está presente.

Quais são os princípios a seguir para investir em um fundo de ações?

Muitos investidores costumam escolher um fundo de ações baseado apenas na sua rentabilidade passada. Ou ainda, no desempenho dos últimos doze meses. O fato é que essa análise é distorcida e pode levar a frustrações. Para que isso não ocorra, é importante olhar para outros aspectos também.

O primeiro deles diz respeito a qualidade da administração do fundo e de seus gestores. É importante sempre verificar se o fundo pertence a uma boa casa de gestão, que tenha tradição no mercado e bons resultados já apresentados.

Outro ponto importante é conferir a composição da carteira do fundo. Como é sabido, a gestão será exercida por um gestor qualificado para tal e isso quer dizer que nenhum cotista influencia na decisão de escolha. Como você não poderá decidir sobre os ativos que comporão a carteira do fundo, pode ao menos constatar onde o recurso está alocado e se concorda com tal alocação.

Por fim, é essencial acompanhar os resultados de tempos em tempos. O mais indicado é conferir ao menos o fechamento mensal. Não é porque a gestão é feita por um terceiro que você não acompanhará o desempenho do fundo. Seu dinheiro está em jogo, portanto fique de olho e acompanhe os resultados.

Os fundos de ações são boas opções para fazer uma diversificação de carteira eficiente e rentável. Com uma boa pesquisa é possível encontrar ótimos fundos com gestores muito qualificados. Grande parte deles já apresenta resultado consolidados há anos e suas casas de gestão têm tradição junto ao mercado. O ideal é nunca esquecer de alocar nesses fundos uma porcentagem do capital que corresponda ao perfil de investimento de quem aplicará os recursos em questão.

(Por Ronaldo Araújo)