Fundos de ação: como investir em ações de forma prática

Paulo Filipe de Souza
Colaborador do Torcedores

O mercado de ações permite ganhos muito superiores a outros tipos de investimentos. Mesmo quem não aplica em ações pode investir atrás de fundos de ações. Os fundos têm ganho destaque com os seguidos cortes na taxa Selic.

Os fundos de ações são uma opção de investimento para quem quer aplicar na Bolsa de Valores e não sabe quais ativos investir. Como qualquer outro fundo, o capital de vários investidores é administrado por um profissional. Assim, um fundo de ações monta uma carteira com diferentes ativos listados na Bolsa.

Praticidade e precisão, saiba quais melhores investimentos e como melhorar rentabilidade de suas ações

Os Fundos de Ações são uma alternativa para quem quer investir na bolsa e não tem conhecimento. Além disso, são uma importante alternativa para quem quer diversificar as aplicações.

Hoje, no mercado financeiro há uma série de fundos de ações. Antes de escolher um, é preciso saber como funciona na prática esse investimento.

Fundo de ações na prática

Quem aplica em fundos de ações não está comprando o ativo em si. Quem aplica em fundos está comprando cotas de um investimento que será administrado por um gestor. Para isso, o investidor paga uma taxa de administração e uma taxa de performance.

Os fundos de ações lucra com a valorização dessas ações e com o pagamento de dividendos. Existem diversos tipos de fundos de ações. Por exemplo, existem fundos de curto, médio e longo prazo. Além disso, diferentes tipos de portfólios. Por isso, é importante traçar o seu objetivo e depois definir qual tipo de fundo de ações se encaixa melhor.

Na prática, o fundo de ações funciona como qualquer outro tipo de fundo de investimento e são a forma mais comum de investir em conjunto. Dentro dos fundos de ações há categorias:

Fundo de ação setorial: investe em ativos de determinado setor. Por exemplo, fundo de ações de educação ou fundo de ações de infraestrutura. Assim, esses fundos aplicam os recursos em diferentes empresas de um mesmo setor.

Fundo de ações de dividendos: busca fazer os investimentos em empresas com bons históricos de dividendos. Ou seja, empresas que distribuem boas parcelas de lucro.

Fundo de ações de small caps: investe em empresas menores com chances de valorização.

Fundo de sustentabilidade: busca investir em empresas com bons históricos de liderança corporativa e que possuam reconhecimento de responsabilidade social e ambiental.

Um bom exemplo de fundo de ações, o Brasil Capital 30 possui 23,4 mil cotistas. Além de investir em ações e títulos públicos, o fundo também investe em outros fundos de ações. Assim, quem aplica o dinheiro neste tipo de fundo têm a diversidade da carteira do Fundo Brasil Capital 30 e a diversidade de outras carteiras que o fundo aplica.

O investidor que aplicou 10 mil reais, há um ano no fundo, têm hoje um patrimônio de R$ 14.117, por exemplo. Isso porque a rentabilidade do fundo foi de 41,17% nos últimos 12 meses.

Investir em Fundos de Ações

Os Fundo de Ações são uma forma mais acessível de montar uma carteira de ações diversificada. Por exemplo, quando você compra mil reais em ativos, a sua carteira está ligada a uma única empresa. Assim, caso esses ativos de desvalorizem, a sua carteira inteira será prejudicada.

Quando se compra cotas de um fundo de ações, a sua carteira se torna mais diversa. Se mil reais forem aplicados em uma cota que investe em 10 empresas, caso algum ativo se desvalorize há outros nove para equilibrar a carteira.

Assim, qualquer investidor consegue ter um portfólio de ativos diversificados de forma mais acessível. Outra vantagem dos fundos de ações é o acompanhamento da carteira. Ou seja, para quem está começando a investir e ainda não têm conhecimento sobre como funciona o mercado de ações.

Hoje, no mercado há fundo de ações com bons retornos e baixas taxas a partir de R$500. Ou seja, é possível investir na Bolsa de Valores, ter uma carteira diversa e sem precisar comprar ações.

Mas antes de fazer qualquer aplicação, é preciso lembrar que os Fundos de Ações são investimentos de renda variável. Isto é, podem tanto ter uma valorização como uma perda do valor. Antes de aplicar, procure opções de investimentos que se encaixem no perfil, com baixas taxas de administração e bons históricos.