Fundos de investimento têm captação líquida positiva de R$ 46,3 bi entre 1º e 19 de março

Felipe Alves
Jornalista com experiência em reportagem e edição em política, economia, geral e cultura, com passagens pelos principais veículos impressos e online de Santa Catarina: Diário Catarinense, jornal Notícias do Dia (Grupo ND) e Grupo RBS (NSC).
1

Crédito: Banco de Imagens Pixabay/By Lorenzo Cafaro.

Os fundos de investimento registraram captação líquida positiva de R$ 46,3 bilhões entre os dias 1º e 19 de março, segundo dados da Anbima (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais).

Esse valor é a diferença entre os R$ 535,3 bilhões de aportes e R$ 489 bilhões de resgates no período.

Entre 15 e 19 de março, a indústria teve captação líquida positiva de R$ 8,4 bilhões.

Não Perca! Começa hoje o evento que vai transformar sua visão sobre Fundos de Investimento Imobiliário

Já os fundos de renda fixa tiveram saldo positivo de R$ 6,4 bilhões. Os fundos de ações e multimercados registraram R$ 1,2 bilhão e R$ 1,1 bilhão, respectivamente.

Os fundos estruturados, FIDCs e FIPs, também tiveram captação líquida positiva, mas resultado de movimentos concentrados.

Os FIDCs registraram R$ 1,1 bilhão (um fundo sozinho aportou R$ 808 milhões) e os FIPs tiveram saldo líquido de R$ 195,5 milhões (dois aportes concentrados de R$ 260 milhões e um resgate de R$ 120 milhões).

Segundo a Anbima, as demais classes tiveram resgates líquidos no período.

Foi o caso da previdência com R$ 805 milhões, dos ETFs com R$ 712,4 milhões e dos cambiais com R$ 41,3 milhões.

Desde 1º de janeiro deste ano, a indústria de fundos acumula captação líquida positiva de R$ 90,7 bilhões e patrimônio líquido de R$ 6,2 trilhões.