Fundo de ações: Descubra tudo o que você precisa saber

regiane delfino medeiros
Colaborador do Torcedores
1

Crédito: TeroVesalainen /Pixabay

O fundo de ações pode ser uma opção interessante para quem tem pouco tempo para pensar em investimentos

A redução da Selic para 6% provocou no investidor a necessidade de realocar seus ativos na tentativa de melhorar os ganhos. Então, migrar da renda fixa para a renda variável parece ser uma alternativa vantajosa para aumentar os rendimentos.

Mas a verdade é que muita gente ainda não se sente preparada para investir diretamente em ações. Seja porque é necessário gastar um bom tempo procurando boas ações. Ou seja ainda, porque  o investidor precisa ter um conhecimento mínimo para não cometer falhas grosseiras.

Nesse caso, uma opção que pode facilitar bastante a vida do investidor é posicionar uma parte de seus recursos em fundo de ações.

O que é Fundo de ações ?

O fundo de investimentos em ações -FIA pode ser definido dessa forma quando pelo menos 67% da sua carteira é composta de ações ou cotas em fundo de ações. Ele é adquirido junto à corretora por meio de cotas. Além disso, a administração do fundo é delegada a um gestor profissional.

Quais as vantagens de investir em um Fundo de ações?

  • O fundo normalmente possui um número elevado de cotistas, então os custos operacionais costumam ser menores que o da pessoa física que investe sozinha na Bolsa.
  • O fundo é composto por ações de diversas empresas ou por cotas de outros fundos de ações. Isso permite uma carteira diversificada.
  • Fundo de ações tem uma característica mais agressiva, ou seja, apesar de os riscos serem maiores, possui potencial de boa rentabilidade no longo prazo.
  • A gestão do fundo é terceirizada e feita por um gestor profissional.

Como escolher um Fundo de ações?

Em primeiro lugar é essencial que o investidor tenha acesso a lâmina de investimentos do fundo. Geralmente ela se encontra disponível na corretora que disponibiliza o fundo para venda.

Na lâmina é possível encontrar resumidamente os principais indicadores da carteira e suas características operacionais.Lá estarão disponíveis informações como:

  • Taxa de administração: Varia muito entre os fundos. Em geral taxas superiores a 2% são consideradas altas.
  • Taxa de performance: Nem sempre é cobrado. Mas quando isso acontece significa que a rentabilidade do fundo superou um indicador de referência como o IBOVESPA
  • Taxa de saída: O investidor paga quando pede o resgate antecipado da cota de um fundo. Nem todos os fundos cobram isso.
  • Ações que compõem a carteira: Verificar se os ativos dessa carteira estão bem bem diversificados. É possível descobrir isso no site da CVM.
  • Histórico da rentabilidade: A rentabilidade do passado não é espelho para a rentabilidade futura, mas serve de norte para analisar a volatilidade do fundo.
  • Resgate: Cada fundo tem um prazo diferente de resgate, podendo variar de 1 até 180 dias para resgatar as cotas. Então é preciso que isso fique muito claro antes de investir, para não correr o risco de precisar do dinheiro e não poder retirá-lo.
  • Gestor do fundo: Buscar informações sobre quem gerencia o fundo e a quanto tempo está no mercado. Entender qual é a filosofia de investimento do gestor do fundo e ver se isso está alinhado com os seus objetivos.
  • Risco: Geralmente na Lâmina é disponibilizada a classificação de risco do fundo, que varia numa escala de 1 a 5. Variando conforme a estratégia de investimento estabelecida.

Conclusão

Então, como você pode ver, os fundos de ações constituem a forma mais fácil de investir em renda variável. E por outro lado, reduz o risco de perdas, visto que a carteira é geralmente é diversificada, então se um ativo tiver mal desempenho, outros podem estar indo bem.

O alerta fica para a escolha do fundo. Existem muitas opções no mercado e nem todas são boas, então pesquise bem antes de investir.

Esta é a função de um assessor de investimentos

Entender o investidor em uma profundidade maior do que o gerente do seu banco ou corretoras digitais e monitorar o mercado em busca de oportunidades que se enquadram em sua realidade, são atribuições do Assessor de Investimentos.

Uma das formas mais eficientes de identificarmos o nosso perfil de investidor, é realizando um teste de perfil.

Você já fez seu teste de perfil? Descubra qual seu perfil de investidor! Teste de Perfil

O papel dele é unir seus objetivos pessoas e profissionais, momento financeiro, perfil de investidor e avaliar o mercado para te apoiar com os investimentos que estiverem alinhados com seu momento.

Disponibilizo abaixo, a oportunidade de você realizar um diagnóstico e tirar todas as suas dúvidas sobre investimentos, conversando com um especialista no assunto.

O que fazer agora

O primeiro passo sempre será conhecer seus limites, sua tolerância a risco. Não entender seus próprios limites pode levá-lo a tomar as piores decisões com seus investimentos.

Por este motivo, sugerimos que todo investidor - experiente ou iniciante - conheça seu perfil. Se busca obter ganhos mais altos aceitando certa volatilidade ou se prefere maior segurança com retornos garantidos.

Entender mais profundamente o seu perfil como investidor e seus objetivos quanto a prazos de investimentos é uma tarefa um pouco mais sofisticada. É preciso considerar histórico como investidor, fatores pessoais e até profissionais que um teste da internet não considera.

Nossa equipe pode te ajudar a avaliar seu perfil de investidor.

O primeiro passo é uma conversa de 5 a 10 minutos com um membro da nossa equipe para levantar as primeiras informações e então agendar a conversa com um especialista no mercado de Investimentos.

É ele quem vai se aprofundar no seu histórico como investidor, seu momento de vida, seus planos futuros e então te indicar para produtos recomendados para seu perfil de investidor.

Confirme seus dados no formulário abaixo e nossa equipe vai entrar em contato com você para fazer a avaliação de seu perfil de investidor e bater com sua atual carteira de investimentos.