Grupo Caoa: chances de comprar fábrica da Ford no ABC “são remotas”

Paulo Amaral
Jornalismo é meu sobrenome: 20 anos de estrada, com passagens por grandes veículos da mídia nacional: Portal R7, UOL Carros, HuffPost Brasil, Gazeta Esportiva.com, Agora São Paulo, PSN.com e Editora Escala, entre outros.

Crédito: Reprodução

Fundador e chairman do Grupo Caoa, Carlos Alberto de Oliveira Andrade conversou com jornalistas do setor automotivo em um almoço nesta terça-feira (10). Ele falou sobre a possibilidade de a empresa adquirir a fábrica da Ford, em São Bernardo do Campo.

Segundo reportagem do portal Uol, apesar de ainda existir uma chance, as possibilidades da efetivação do negócio “são remotas” nesse momento.

Simule seus investimentos com um especialista e confira as melhores opções de acordo com seu perfil

Negociações

As negociações para a compra da fábrica da Ford tiveram início em setembro deste ano, em coletiva que contou com as presenças do governador do Estado, João Doria, do presidente da montadora, Lyle Watters, e do prefeito de São Bernardo do Campo, Orlando Morando, mas acabaram não evoluindo para um desfecho positivo.

Sociedade com chineses

A ideia principal do empresário nesse momento é montar uma sociedade com marcas chinesas, nos moldes 51% para a Caoa e 49% para as orientais.

Hoje a Caoa detém a exclusividade na importação de veículos das marcas Hyundai e Subaru, além de também ter montado sociedade com a chinesa Chery, que resultou na criação da Caoa Chery – montadora de capital misto que hoje produz localmente e comercializa os SUVs Tiggo 2, Tiggo 5X e Tiggo 7, bem como o sedã médio-compacto Arrizo 5.

A Caoa tem duas fábricas no Brasil. Uma em Anápolis (GO), na qual produz SUVs da Chery e utilitários da Hyundai, e outra em Jacareí, interior de São Paulo, local onde são produzidos o Arizzo 5, sedã da Cherry, e o Tiggo 2, também da montadora chinesa.

 

Cases da Bolsa

Aprenda análise fundamentalista de ações na prática, com maiores cases já criados na B3