França libera uso de anestésico veterinário para pacientes infectados com coronavírus

Felipe Moreira
Felipe Moreira é Graduado em Administração de empresas e pós-graduado em Mercado de Capitais e Derivativos pela PUC - Minas, com mais de 6 anos de vivência no mercado financeiro e de capitais. Apaixonado por educação financeira e investimentos.
1

Crédito: Reprodução/Wcifly

Os franceses aprovaram o uso de um anestésico de cavalos em doentes graves, internados em UTIs, devido a falta de medicamentos por causa da pandemia de coronavírus. Na última sexta-feira (3), foi publicada no Diário Oficial a autorização para o uso de 2 remédios à base de propofol.

A Agência Nacional de Segurança de Medicamentos (ANSM) afirmou que a medida é necessária porque a demanda mundial por anestésicos saltou com coronavírus e os estoques na França estão muito baixos. As informações são do G1.

“Esta é apenas uma peça suplementar que irá contribuir para atender o número importante de pacientes em reanimação”, disse a ANSM.

A ANSM realizou um levantamento em todo o país dos estoques disponíveis do propofol fabricado para humanos, e recomenda o uso do anestésico veterinário apenas como “complemento”. A entidade também aumentou as importações de remédios necessários nas UTIs, no entanto a competição é alta.

O consumo de anestésicos utilizados para sedar pacientes em reanimação, como o propofol, o curare ou midazolam cresceu 2.000% na França. O mesmo aumento foi observado no resto do mundo.

O propofol é usado para sedar profundamente pessoas entubadas e ligadas a respiradores artificiais para que consigam suportar. Os medicamentos veterinários liberados poderão ser usados porque contêm a mesma dosagem que os remédios produzidos para uso humano. A ANSM garante a qualidade do medicamento.

Os medicamentos possibilitarão o tratamento de centenas de pessoas, que passam em média, 14 dias internados nas UTIs.

Especialistas ouvidos pela imprensa francesa asseguram que os medicamentos veterinários não trazem risco suplementar para a saúde dos doentes.

Pelo menos 6.800 pacientes estão internados em estado grave nas UTIs da França. O coronavírus já matou 7.560 pessoas no país.