Foguetes atingem embaixada dos EUA em Bagdá e deixam um ferido

Marco Antônio Lopes
Editor. Jornalista desde 1992, trabalhou na revista Playboy, abril.com, revista Homem Vogue, Grandes Guerras, Universo Masculino, jornal Meia Hora (SP e RJ) e no portal R7 (editor em Internacional, Home, Entretenimento, Esportes e Hora 7). Colaborador nas revistas Superinteressante, Nova, Placar e Quatro Rodas. Autor do livro Bruce Lee Definitivo (editora Conrad)

Crédito: Reprodução

Um foguete atingiu a embaixada dos EUA em Bagdá na noite deste domingo (26). Uma pessoa ficou ferida, de acordo com informações da agência de notícias AFP. Outros dois foguetes caíram perto da representação diplomática.

Não se sabe se a nacionalidade da pessoa que se feriu no bombardeio. A embaixada americana fica na Zona Verde, área militarizada que abriga missões diplomáticas, sedes do governo iraquiano e o parlamento do país.

Um dos foguetes caiu sobre o refeitório do prédio. Agências chegaram a noticiar que outras pessoas ficaram feridas — informação ainda não confirmada.

BDRs. Alternativas para investir no exterior diretamente da bolsa brasileira

Os outros dois foguetes explodiram próximos à embaixada. Não sabe ainda que exército ou grupo extremista teria lançado os artefatos, do tipo Katyusha, de fabricação russa.

Iraque promete investigar

Bagdá se manifestou e prometeu apurar o ataque. O primeiro-ministro iraquiano Abdul Mahdi disse à TV estatal do Iraque: “Esse comportamento irresponsável prejudica os interesses do país e relações com aliados. O governo irá proteger as missões diplomáticas da capital e vai investigar o caso.”

Vários ataques com foguetes atingiram a Zona Verde e bases iraquianas onde tropas dos EUA estão instaladas desde que, no último dia 3 de janeiro, o general iraniano Qassem Soleiman foi morto em bombardeio militar americano no aeroporto de Bagdá.

O Irã respondeu ao ataque bombardeando bases onde estão alojados militares dos EUA no Iraque no dia 8 de janeiro.