Focus projeta queda de 5,11% do PIB; inflação sobe a 1,94%

Cláudia Zucare Boscoli
Jornalista formada pela Cásper Líbero, com pós-graduação em Jornalismo Econômico pela PUC-SP, especialização em Marketing Digital pela FGV e extensão em Jornalismo Social pela Universidade de Navarra (Espanha), com passagens por IstoÉ Online, Diário de S. Paulo, O Estado de S. Paulo e Editora Abril.
1

Crédito: Divulgação

O Boletim Focus desta semana volta a apontar uma leve melhora para o Produto Interno Bruto (PIB) e também avanço da inflação.

A divulgação foi feita pelo Banco Central nesta segunda-feira (14).

PIB

A projeção do mercado voltou a apontar uma melhora para o PIB, depois de uma queda na semana passada. A estimativa foi de queda do PIB de 5,31% para queda de 5,11%.

Ferramenta ajuda na escolha de suas ações de acordo com balanços

Antes da queda na semana passada, as projeções vinham em uma sequência de nove altas sequenciais. Há quatro semanas, a estimativa era por queda de 5,52%.

O PIB brasileiro teve queda recorde de 9,7% no segundo trimestre e de 1,5% no primeiro trimestre.

Nos cálculos do governo federal, o recuo do PIB deve ser de 4,7% este ano, conforme o Boletim Macro Econômico.

Hoje sai a prévia do Produto Interno Bruto (PIB) de julho, através do Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br). A projeção é de crescimento de 3,4%, ante 4,89% de junho e 1,31% de maio. Em abril, pior mês da pandemia no Brasil, houve queda de 9,73% do indicador.

IPCA

O Focus apresentou novo aumento na projeção para a inflação oficial do país em 2020, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). É o quinto aumento consecutivo. Ele foi de 1,78% para 1,94%. Há quatro semanas, era de 1,67%.

A meta do governo para o ano é de inflação de 4%.

Em agosto, o IPCA ficou em 0,24%, ante 0,36% de julho. A projeção do mercado era por leitura pouco inferior, de 0,23%. Em junho, o avanço foi de 0,26%. Maio e abril foram meses de deflação.

Focus: Selic

Pela décima primeira semana, a projeção para a taxa Selic é de 2%.

O Comitê de Política Econômica (Copom), que define a Selic, se reúne esta semana. Na quarta-feira (16) deve ser anunciada a nova decisão, mas, pelas apostas do mercado, não haverá alterações.

De acordo com a ata da última reunião do Comitê de Política Monetária do Banco Central (Copom), que cortou a taxa de 2,25% para 2%, novos cortes, se acontecerem, serão graduais e pequenos. Revelou também que as preocupações atuais do comitê são a inflação e o risco fiscal.

Câmbio

A expectativa para a taxa de câmbio foi mantida em R$ 5,25 pela segunda semana consecutiva. Há quatro semanas, era R$ 5,20.

Focus

Reprodução/Banco Central

Focus: projeções para 2021

Para 2021, houve queda na expectativa da Selic que foi de 2,88% para 2,50%.

A expectativa para o IPCA subiu de 3% para 3,01%, depois de doze semanas estável.

A expectativa para o PIB segue em 3,5% há dezesseis semanas.

E o câmbio segue em R$ 5 há nove semanas.

Focus: 2022

Para 2022, tudo segue igual. IPCA a 3,5% há 59 semanas.

PIB a 2,50 há 125 semanas.

Câmbio a R$ 4,90 há duas semanas – a projeção anterior era de R$ 4,80.

E Selic a 4,5% há três semanas – antes, era de 4,75%.

Focus: 2023

Para 2023, mudança no câmbio – de R$ 4,85 para $ 4,90 (era R$ 4,80 há quatro semanas).

E queda na Selic, de 5,75% para 5,50% – era 6% há quatro semanas.

IPCA segue em 3,25% há nove semanas.

E PIB em 2,50% há 80 semanas.