FMI vê crise do coronavírus longe do fim e pede cooperação

Paulo Amaral
Jornalismo é meu sobrenome: 20 anos de estrada, com passagens por grandes veículos da mídia nacional: Portal R7, UOL Carros, HuffPost Brasil, Gazeta Esportiva.com, Agora São Paulo, PSN.com e Editora Escala, entre outros.
1

Crédito: Reprodução/Facebook

A crise econômica mundial causada pela pandemia de coronavírus ainda está longe de acabar. Esse foi o alerta dado pelo Fundo Monetário Internacional (FMI).

Dúvidas sobre como investir? Consulte nosso Simulador de Investimentos

Em artigo publicado pela revista Foreign Policy, Kristalina Georgieva, diretora-gerente do órgão, e Gita Gopinath, economista-chefe do fundo, ressaltaram que a cooperação multilateral segue necessária para garantir suprimentos adequados, assim que a vacina for desenvolvida.

Ferramenta ajuda na escolha de suas ações de acordo com balanços

“À medida que os confinamentos vão sendo suspensos em várias partes do mundo e as empresas voltam a abrir, há uma recuperação acentuada do consumo, da produção e do emprego, mas a crise está longe de ter acabado”, alertaram.

“A recuperação continua muito frágil e desigual entre regiões e setores. Para garantir que a retomada continue, é essencial que o suporte não seja retirado prematuramente”, complementou a dupla.

FMI pede apoio contínuo às empresas

Em seus cálculos, o FMI estima que o custo total da crise causada pelo coronavírus chegará a US$ 12 trilhões até o final de 2021.

Aumente seus ganhos. Consulte nossa Planilha de Monitoramento de Carteira

O fundo tem feito sua parte para colaborar, em especial com os países menos favorecidos.

Por conta disso, disponibilizou financiamento de emergência para 75 países, incluindo 47 nações de baixa renda, e disse que está pronto para fornecer mais apoio a um conjunto mais amplo de países de renda média.

No artigo assinado pelas duas executivas, o FMI deixou claro que o essencial, mesmo nesse momento de retomada econômica, é que as  empresas, inclusive aquelas em situação de solvência, tenham apoio contínuo para evitar a destruição de milhões de empregos.

“Apesar de o mundo ter aprendido a conviver com o vírus, uma recuperação completa é improvável se não houver uma solução médica permanente”.

A “solução médica” citada pela dupla é a tão sonhada vacina. No artigo, as executivas do FMI lembraram que há 128 projetos de vacina em teste, e que os governos e todos os envolvidos precisam colaborara para que todos os suprimentos necessários tenham fornecimento e distribuição adequadas.

Planilha de Açõesbaixe e faça sua análise para investir