FMI aposta que acordo comercial entre Estados Unidos e China “aliviará incertezas globais”

Paulo Amaral
Jornalismo é meu sobrenome: 20 anos de estrada, com passagens por grandes veículos da mídia nacional: Portal R7, UOL Carros, HuffPost Brasil, Gazeta Esportiva.com, Agora São Paulo, PSN.com e Editora Escala, entre outros.
1

Crédito: Reprodução/Pixabay

Kristalina Giorgieva, diretora-gerente do FMI (Fundo Monetário Internacional) está entusiasmada com a assinatura do acordo comercial entre Estados Unidos e China.

Na visão dela, o fim da batalha que durou quase dois anos aliviará as incertezas relacionadas ao crescimento da economia global.

O FMI previa uma redução de aproximadamente US$ 700 bilhões no PIB (Produto Interno Bruto) por conta do desacordo entre as duas maiores potências econômicas do mundo.

A executiva do Fundo não quis informar, ao menos por enquanto, a projeção de crescimento do FMI para a economia global em 2020.

De acordo com Giorgieva, os números serão divulgados no Fórum Econômico Mundial, em Davos, na Suíça.

O único número adiantado por ela foi em relação à expectativa de crescimento da China para o período: 6%, justamente por conta da assinatura do acordo com os EUA.