Fluxo cambial: após segunda semana de setembro, saldo está negativo em US$ 568 milhões

Fernando Augusto Lopes
Redator e editor
1

Crédito: Reprodução/Pixabay

O Banco Central do Brasil (BCB) divulgou o fluxo cambial acumulado de setembro, ao adicionar a movimentação da segunda semana do mês, e o saldo negativo é de US$ 568,34 milhões.

Assim como na primeira semana, a segunda também só teve quatro dias úteis, dessa vez por conta do feriado da Independência.

Entretanto, na segunda semana apresentou um saldo positivo de US$ 89 milhões.

O dia 10 de setembro foi positivo em US$ 773,80 milhões, equilibrando o rombo do dia seguinte, de US$ 781,65 milhões.

O acumulado do ano mostra um rombo de US$ 15,783 bilhões. Em 2019, até este momento do ano, o negativo estava em US$ 8,914 bilhões.

Conta comercial e conta financeira

O saldo entre exportações e importações está em US$ 311,84 milhões no acumulado de setembro.

Na segunda semana, essa conta comercial ficou no azul em US$ 641 milhões.

Exportações contaram US$ 3,152 bilhões, contra US$ 2,510 bilhões das importações.

No acumulado do mês, exportações contam US$ 5,386 bilhões e importações, US$ 5,074 bilhões.

Já a conta financeira mostra no acumulado do mês um saldo negativo de US$ 880,18 milhões.

São US$ 10,810 bilhões de entrada e US$ 11,690 bilhões de saída.

A segunda semana de setembro mostra US$ 553 milhões negativos na conta financeira, o que impactou diretamente no fluxo cambial.

Fluxo cambial no ano

A conta está negativa em US$ 15,784 bilhões no acumulado de janeiro até a segunda semana de setembro.

Mais uma vez, o fluxo cambial perdeu com a conta financeira.

Nesse período, entraram US$ 335,579 bilhões e saíram US$ 384,108 bilhões.

Isso dá uma fuga de US$ 48,528 bilhões nos oito meses e meio já percorridos de 2020.

O fluxo cambial só não tem uma fuga maior porque a conta comercial apresenta entrada de US$ 32,745 bilhões.