Flamengo: da dívida de R$750 milhões, ao faturamento de R$652 milhões

Juliana Gusmão
null

Crédito: imagem/reprodução/globoesporte

O clube regatas do Flamengo está em alta. O campeão da libertadores vive hoje um cenário completamente diferente do que viveu em 2012. Diante de R$ 750 milhões de reais em dívidas, via suas finanças em decadência. Agora em 2019, especialistas alegam que o Flamengo estaria valendo R$ 1,1 bilhões, com um faturamento de R$652 milhões.

O principal ponto é entender que o clube passou por uma grande reformulação, sobretudo com uma nova direção, para chegar neste patamar. Todavia, a dívida do clube foi reduzida em cerca de R$ 200 milhões em sete anos, e o faturamento teve um incremento de cerca de 350 milhões em comparação com 2012.

2013-2015: ápice da dívida

No fim de 2012, Eduardo Bandeira de Mello, assumiu a direção do cube do Rio de Janeiro. Contudo, a conduta de Mello era responsável. Os encargos fiscais e trabalhistas (responsáveis por grande parte da dívida rubro-negra), foram sendo reduzidos ano a ano. Enquanto as receitas também foram aumentando conforme o decorrer do tempo.

A dívida do clube era tão alta que foi necessário contratar a Ernest & Young, para contabilizar. Portanto, nesse momento o Flamengo não tinha credibilidade para negociar com quase ninguém, seja fornecedor, banco ou grandes atletas e treinadores. Salvo que clube fechou 2012 com R$ 737 milhões de endividamento, sendo R$ 400 mi referente às dívidas fiscais.

A principal estratégia para acabar com as dívidas foi  a aprovação do Profut (Programa de Modernização da Gestão e de Responsabilidade Fiscal do Futebol Brasileiro), disse Eduardo Bandeira “Não saiu (aprovação do Profut) exatamente do jeito que a gente queria, mas no final foi uma grande vitória. Com o Profut, a gente conseguiu alongar essa parcela da dívida que era de quase 300 milhões de reais em 20 anos. Isso foi fundamental. Talvez aquilo tenha sido a coisa que me tomou mais dedicação pessoal porque era o tipo da negociação que não podia mandar ninguém, tinha que ser o presidente” disse o ex presidente do clube.

Uma das formas mais eficientes de identificarmos o nosso perfil de investidor, é realizando um teste de perfil.

Você já fez seu teste de perfil? Descubra qual seu perfil de investidor! Teste de Perfil

De 2013 a 2014, a dívida do clube foi reduzida para cerca de 660 milhões de reais. Enquanto nos jogos o clube apostava em um elenco mais barato, porém competitivo. O título da Copa do Brasil de 2013 ajudou a dar respaldo à diretoria para seguir no trabalho de arrumação da casa. Principalmente com a arrecadação da torcida. Portanto  balanço daquele ano apontou uma receita de 267 milhões de reais (59 milhões a mais que em 2012).

2016-2018: aumento dos investimentos

Com mais capital disponível, o flamengo conseguiu fazer contratações importantes.  Uma das grades contratações daquele ano foi o meia Diego, um dos líderes do atual elenco. Em 2017, Everton Ribeiro chegou. Por fim, Vitinho veio como grande esperança em 2018.

No período entre 2016 e 2018, o clube arrecadou 718 milhões com cotas de televisão. Além de mais 217 milhões de saldo com atletas. Vale lembrar que, em 2017, o Flamengo acertou a venda de Vinicius Jr para o Real Madrid por 45 milhões de euros.

Enquanto o faturamento foi aumentando com o passar dos anos, o envidamento também foi caindo. Portanto, ao fim de 2018, a dívida passou para 455 milhões de reais. A dívida bancária, quando o clube precisou fazer empréstimos para fazer investimentos na base e no futebol, chegou a ser de 162 milhões em 2015 e caiu para 25 milhões três anos depois – apenas 5% do total da dívida.

Os débitos trabalhistas também reduziram – cerca de um terço. Em 2012, o clube era réu em mais de 600 ações na Justiça do Trabalho, segundo Bandeira de Mello. A dívida trabalhista era de 193 milhões de reais em 2012 e passou para 60 milhões em 2018.

2019: momento favorável do clube

Ao fim de 2018,  Rodolfo Landim venceu a eleição para presidente do clube. E prometeu que o flamengo iria decolar. Portanto, como resultado o time conquistou a Libertadores, o Brasileiro e o Carioca.

Após uma arrastada negociação, o Flamengo fechou com o Cruzeiro a maior transação da história do futebol brasileiro. O clube carioca acertou o negócio para pagar em torno de 15 milhões de euros pela contratação de Arrascaeta.

Apesar de o envidamento ter subido para 574 milhões, o faturamento foi de 652 milhões de reais. Somente com venda de atletas, o clube arrecadou 295 milhões.

Para alguns analistas, como Felipe Silveira, da Capital Research, o Flamengo valeria hoje cerca de R$ 1,1 bilhões, considerando-se as receitas e os lucros já obtidos até setembro, e o que deve contabilizar até o fim do ano.