Financiamentos imobiliários crescem 29,8% no primeiro trimestre

Fernando Augusto Lopes
Redator e editor
1

Crédito: Rafael Neddermeyer / Fotos Públicas

Os financiamentos imobiliários com recursos do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE) cresceram 29,8% no primeiro trimestre de 2020, em comparação com o o mesmo período de 2019, chegando a R$ 20,25 bilhões.

Em março, o volume foi a R$ 6,73 bilhões, o que representa um crescimento de 5,6% em relação a fevereiro e de 19,4% com março de 2019.

As informações estão no Boletim Informativo de Crédito Imobiliário e Poupança da Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip), divulgado nesta quinta-feira (30).

A alta é ainda maior se o período analisado for dos 12 últimos meses, de abril de 2019 a março de 2020.

O volume de empréstimos para aquisição e construção somou R$ 83,35 bilhões nesse período, com alta de 34,9% em relação aos 12 meses anteriores.

O pico se deu em dezembro de 2019, com R$ 8,66 bilhões.

A pandemia do novo coronavírus, que chegou ao Brasil de fato em março, não teve impacto expressivo sobre o crédito habitacional no âmbito do SBPE.

Números de financiamentos

Em março de 2020, foram financiados 25,7 mil imóveis, seja na aquisição ou construção, um resultado 0,5% superior ao de fevereiro e 7,5% maior do que março de 2019.

Entre janeiro e março de 2020 foram financiadas aquisições e construções de 79,07 mil unidades, resultado 24,3% maior que o de igual período de 2019, quando foram financiados 63,64 mil imóveis.

Nos últimos 12 meses, de abril de 2019 a março de 2020, os financiamentos viabilizaram a aquisição e a construção de 313,4 mil imóveis, alta de 26,5% em relação aos 12 meses anteriores, quando 247,8 mil unidades foram beneficiadas pelo crédito imobiliário do SBPE.

Mais uma vez, nesse universo, o mês de dezembro de 2019 foi o pico, com 31,7 mil imóveis.

Captação Líquida de poupança pelo SBPE

A captação líquida das cadernetas de poupança do SBPE foi positiva em R$ 8,25 bilhões em março, recuperando-se de dois meses de baixa e registrando um dos melhores comportamentos para o mês da história do SBPE.

Em fevereiro, a captação líquida ficou negativa, em R$ 2,27 bilhões, o que já era uma recuperação diante de janeiro, que ficou negativo em R$ 9,48 bilhões.

“O desempenho muito superior ao de fevereiro reflete o empenho das famílias em ampliar as reservas necessárias para superar a crise do coronavírus, com suas ameaças para o emprego e a renda dos aplicadores”, diz o relatório da Abecip.

“A captação líquida positiva somada ao crédito de rendimentos, levou o saldo das cadernetas a encerrar março de 2020 em R$ 659,3 bilhões, com alta de 7,3% em relação a março de 2019”, conclui.

LEIA MAIS
FII: veja os fundos imobiliários recomendados pela XP

Fundos imobiliários de shoppings podem ser bem atrativos em 2020