FIIS: Selic beneficia fundos imobiliários; conheça os que mais pagaram

Osni Alves
Jornalista (2007); Especializado em Comunicação Corporativa e RP (INPG, 2011); Extensão em Economia (UFRJ, 2013); Passou por redações de SC, RJ e BH (oalvesj@gmail.com).
1

Crédito: JHSF/Divulgação

Relatório do BB Investimentos indica que o corte na Selic, atualmente em 3% ao ano, aumenta a atratividade dos fundos de investimentos imobiliários (FIIS).

Isso porque, segundo a instituição, a renda fixa acaba perdendo apelo com a taxa de juros tão baixa, por conta da pouca rentabilidade nesse cenário.

Acesse esse material especial para avaliar resultados, performance e dividendos dos melhores FIIs no mercado.

Já os FIIS, que são investimentos com maior risco, oferecem rendimentos mais atrativos nesse panorama.

De acordo com o BB Investimentos, os FIIS são produtos diversificados e resilientes em períodos de crise.

Você sabia que algumas das maiores oportunidades de ganhos da bolsa estão nas Small Caps? Quer saber mais sobre essas ações e como investir? 

A instituição recomenda o BRCR11, do segmento de escritórios, o HFOF11, do segmento de FOF, e HRGU11, do segmento híbrido, e o GGRC11, do segmento de logística.

Quer começar o dia bem-informado com as notícias que vão impactar o seu bolso? Clique aqui e assine a newsletter EQI HOJE!

Um dos principais exercícios para a compra de uma ação é saber se ela está cara ou barata. Para isso, preparamos um material especial para ajudá-lo nesta análise.

FIIS: os que mais pagaram rendimentos em abril

Levantamento do Status Invest elenca os FIIS que mais pagaram rendimentos no mês de abril, ou seja, os produtos com maior dividend yield (DY) para o período.

1° XP Corporate Macaé Fundo de Investimento Imobiliário (XPCM11)

O XPCM11 segue no topo do ranking, com DY de 1,90582959641%, pagando R$ 0,85.

Localizado em Macaé, tem como locatária a Petrobras (PETR4), num único edifício.

2° Hectare CE (HCTR11)

Em segundo lugar está o HCTR11, com um DY de 1,26559872555%, pagando R$ 1,43.

Trata-se de um Fundo de Recebíveis Imobiliários com foco em multipropriedades e loteamentos.

Porém, vale ressaltar que ele acessa operações com risco de crédito maior, riscos pulverizados, com carteiras pulverizadas.

Por ser uma carteira que paga inflação acima de 10%, tem um retorno muito alto.

3° BB Progressivo (BBFI11B)

Na sequencia, em terceiro lugar, está o BBFI11B, com um DY de 1,11650099526%, pagando cerca de R$ 25,45.

Esse produto tem dois ativos imobiliários locados para o Banco do Brasil, sendo um em Brasília e outro no rio de Janeiro.

4° SP Downtown Fundo de Investimento Imobiliario (SPTW11)

Em quarto lugar aparece o SPTW11 que teve DY de 1,07758620690%, pagando R$ 0,75.

São dois ativos locados para a Atento, uma empresa de call center.

5° BTG Pactual Fundo de CRI (FEXC11)

O FEX11 marcou posição na quinta colocação com DY de 1,06145251397% e pagando R$0,95.

Trata-se de um dos fundos mais antigos do mercado e tem uma carteira de recebíveis bem ampla.