FIIs: quais os fundos imobiliários mais procurados pelos investidores pessoa física?

Osni Alves
Jornalista desde 2007. Passou por redações e empresas de comunicação em SC, RJ e MG. E-mail: oalvesj@gmail.com.
1

Foto: img-capa-fiis

O BTG Pactual (BPAC11) tem quatro Fundos de Investimento Imobiliário (FIIs) entre os 10 mais investidos por Pessoas Físicas (PF). A informação é da B3 e faz parte do raio-x do investidor brasileiro, divulgado neste mês.

O banco de investimentos desponta com: FII BC FFII, FII IRIDIUM, FII MAXI REN, e o FII XP MALLS – confira a tabela completa dos dez mais abaixo.

Praticidade e precisão, saiba quais melhores investimentos e como melhorar rentabilidade de suas ações

FIIs

Reprodução/B3

Os FIIs, inclusive, parecem ter caído no gosto dos brasileiros. Isso porque o volume financeiro negociado pelos Fundos Imobiliários até agora, em 2021, já superou o registrado no ano passado inteiro. Conforme a B3, o setor movimentou R$ 56,7 bilhões de janeiro a outubro de 2021, contra R$ 54,1 bilhões entre janeiro e dezembro de 2020.

BTG – FIIs

O segmento PF tem feito a diferença no mercado de FIIs, visto que o volume médio diário de negociação de Fundos Imobiliários, em 2021, já marcou R$ 275 milhões até outubro. Trata-se do maior volume da história na comparação anual.

Acontece que em outubro de 2021, 25 mil novos investidores PF acessaram o segmento de FIIs e outros 1,5 milhão já alocam neste tipo de “veículo de investimento”.

Conforme a B3, 72% da custódia de FIIs está em mãos de investidores PF, seguido dos investidores institucionais, que detém 20% de participação. Já em relação ao volume negociado, as pessoas físicas são responsáveis por 67%.

O cenário para o investidor

O mercado de investimentos já vinha se moldando para atender o varejo, tentando mostrar as vantagens de diversificar o patrimônio por meio da renda variável.

Com a pandemia do novo coronavírus e inúmeras restrições de emprego e renda que surgiram, houve uma aceleração no ingresso de Pessoas Físicas buscando alternativas para fazer o dinheiro render.

Também porque com a taxa básica de juros (Selic) em baixa, como estava até poucos meses atrás, inferior aos 3%, as aplicações convencionais se mostraram frágeis frente ao “novo normal”, que consiste em maior entendimento de finanças, apps de movimentação bancária e educação financeira na palma da mão instruindo para outros caminhos de possibilidades.

Em relação à Selic, ela está, novamente, em tendência de alta (7,75%), e a renda fixa volta ao radar do investidor. Porém, tudo indica que a renda variável, a exemplo dos FIIs, não deverá regredir. Aos poucos, o brasileiro vai enxergando a importância da diversificação.

Rentabilidade

O que segura essa parcela considerável de investidores PF no segmento de FIIs é a rentabilidade que os fundos proporcionam.

Para se ter ideia, dos 189 FIIs negociados em outubro na B3, apenas 33,86% (64) fecharam com ganhos que não passaram de 7,48%.

Acontece que a poupança, por exemplo, proporciona hoje rendimento mensal de 0,62%. Assim, quem tiver R$ 10 mil aplicados ali receberá, por mês, R$ 62,40.

A título de comparação, o FII BTGL11 pagou em meados de junho R$ 0,70 de dividendos por cota, correspondendo a rendimento de 0,62% ao mês, considerando o valor de fechamento da cotação na data-com, ou dia de divulgação do valor dos proventos.

Naquela data, o dividend yield – que corresponde ao recurso distribuído nos últimos 12 meses aos cotistas – estava em 5,99%. Assim, distribuiu R$ 6,76 por cota.

Então, o dilema está em encontrar o FII certo, com a rentabilidade mais atrativa. Por isso, mesmo o investidor Pessoa Física pode contar com assessores de investimentos – e a EQI pode te ajudar.

Conheça os FIIs

Abaixo, um pouco sobre cada um dos quatro FIIs do BTG destacados. 

  • O BCFF11 é o Fundo de Investimento Imobiliário BTG Pactual Fundo de Fundos. O campo de atuação é o segmento Fundo de Fundos e sua atividade é por prazo Indeterminado.
  • O IRDM11 é um fundo imobiliário do tipo papel. Seus investimentos são destinados principalmente em ativos de títulos e valores mobiliários. Fundos de papel com o perfil do IRDM11 investem de forma predominante em títulos de dívida imobiliária e outros valores mobiliários.
  • O MXRF11 – Maxi Renda é um Fundo de Investimento Imobiliário (FII) que atua na área de Renda, no segmento Recebíveis Imobiliários. Ele possui uma gestão Ativa e é voltado para investidores em geral, atuando com prazo Indeterminado.
  • O XPML11 é o fundo de investimento imobiliário XP Malls, administrado pela BTG Pactual e com gestão realizada pela XP Vista. Trata-se de um fundo do tipo tijolo que investe em shopping centers. A primeira emissão de cotas do XPML11 aconteceu em dezembro de 2017.