FIIs e REITs: entenda as diferenças e vantagens de investir

Carla Carvalho
Graduada em Ciências Contábeis pela UFRGS, pós-graduada em Finanças pela UNISINOS/RS. Experiência de 17 anos no mercado financeiro, produtora de conteúdo de finanças e economia.

Crédito: Pixabay

Quando o assunto são investimentos, não é de hoje que o mercado imobiliário é uma das preferências dos brasileiros. Nesse sentido, FIIs e REITs são alternativas interessantes quando não se deseja adquirir um imóvel físico.

Apesar da simpatia do brasileiro pelos imóveis, ainda há muito potencial de crescimento para os investimentos imobiliários no mercado nacional. Por aqui, os Fundos Imobiliários (FIIs) movimentem atualmente algo em torno de R$ 120 bilhões. Já nos Estados Unidos, os investimentos nesse mercado são exponencialmente maiores, girando em torno de US$ 1,2 trilhão.

Praticidade e precisão, saiba quais melhores investimentos e como melhorar rentabilidade de suas ações

Neste artigo, falaremos sobre o que são os REITs, e quais as suas diferenças em relação aos Fundos Imobiliários do mercado nacional.

FIIs e REITs: qual a diferença?

Como vimos, FIIs e REITs são duas formas de investir no mercado imobiliário sem que seja preciso adquirir o bem físico.

A sigla REIT significa Real Estate Investment Trust. Trata-se de um tipo de investimento que funciona por meio de empresas donas de imóveis. O objetivo dessas empresas é gerenciar os imóveis para a obtenção de renda.

O fato de os REITs serem empresas é uma de suas principais diferenças em relação aos Fundos Imobiliários brasileiros. Isso porque, como empresa, um REIT pode, por exemplo, contratar dívidas para a aceleração dos negócios. Por outro lado, essa possibilidade não existe no caso de um FII.

Outro critério que diferencia FIIs e REITs é a obrigatoriedade de distribuir, no mínimo, 90% do lucro tributável aos acionistas, sob a forma de dividendos. Além disso, pelo menos 75% da receita bruta dos seus negócios devem estar atrelados à atividade imobiliária.

Ainda sobre as regras a serem cumpridas pelos REITs, essas empresas devem ter um conselho de administradores. Já no primeiro ano, é obrigatório para o REIT ter, pelo menos, 100 acionistas.

Tipos de REITs

Da mesma forma que os Fundos Imobiliários, existem diferentes tipos de REITs.

Os equity são os que investem em imóveis físicos, equivalentes aos fundos de tijolos brasileiros. Ou seja, a intenção desses ativos é gerar renda com aluguéis ou venda de prédios, galpões logísticos, imóveis residenciais, e assim por diante.

Há também os mortgage, semelhantes aos nossos fundos de papel. Isso significa que eles investem em títulos e recebíveis vinculados ao mercado imobiliário, principalmente atrelados à inflação.

Por fim, temos o tipo hybrid, que investem tanto em móveis físicos quanto em recebíveis vinculados à operações imobiliárias.

Tributação de FIIs e REITs

Essa é mais uma das diferenças que existe entre as duas modalidades. Nesse sentido, os FIIs têm isenção de IR nos dividendos, e sofrem tributação de 20% sobre o lucro na venda das cotas. Já a tributação dos REITs é definida pela legislação norte-americana.

Quer saber mais sobre as vantagens de investir em FIIs e REITs? Então, assista ao vídeo abaixo e saiba mais detalhes sobre as duas modalidades!