FIIS (ALZR11): mercado passa por acomodação pós-pânico, diz Carvalho

Osni Alves
Jornalista (2007); Especializado em Comunicação Corporativa e RP (INPG, 2011); Extensão em Economia (UFRJ, 2013); Passou por redações de SC, RJ e BH (oalvesj@gmail.com).
1

Crédito: FIIS: mercado passa por acomodação pós-pânico, diz Carvalho, da Alianza

Sócio da Alianza Investimentos, que administra o fundo de investimento imobiliário (FIIs) ALZR11, Fabio Carvalho disse que o mercado passa por uma “acomodação após o pânico”.

Segundo ele, houve um temor muito grande em março quando a gravidade da pandemia ficou mais evidente.

“Após quedas generalizadas, o mercado começou a diferenciar cada situação, e os preços das cotas de fundos com maior previsibilidade de rendimentos se recuperaram mais”, disse.

BDRs| Confira os papéis disponíveis para Investimentos

E acrescentou: “outros fundos, com menor previsibilidade, seguiram com preços bastante depreciados.”

Para Carvalho, as categorias devem ter desempenho atípico nos próximos meses, visto que a crise afeta cada segmento de maneira diferente, a exemplo dos shoppings e logística.

Assim, frisou, o investidor que busca renda imediata vai privilegiar os fundos que podem oferecer com maior certeza essa renda.

Já outros perfis de investidores, ou seja, aqueles que buscam ganho de capital, deverão achar boas oportunidades de médio e longo prazo nos fundos que estão sofrendo mais os impactos imediatos da crise.

Ele falou com exclusividade ao Euqueroinvestir.com.

Veja o desempenho do ALZR11 na Bolsa:

Fonte: tradingview.

FIIS: dividendos

De acordo com Carvalho, embora alguns FIIS tenham postergado o pagamento de dividendos, o administrado pela Alianza manteve o fluxo de distribuição normalmente.

“No nosso fundo, especificamente, não houve qualquer impacto negativo, em virtude do foco nos contratos fortes [anteriormente chamados atípicos]”, disse.

E acrescentou: “nossos ativos têm inquilinos de ótima qualidade de crédito, e imóveis essenciais a este público. Nós distribuímos mensalmente [o dividendo], imediatamente após os recebimentos, e não fazemos qualquer provisão.”

Conforme o executivo, não há provisão por não haver nenhuma forma de vacância ou inadimplência.

16-232-138-editoramoderna-saopaulo-sp-fotos-profissionais-tratadas-26

FIIS: fundos de shoppings

No mercado em geral, disse, há situações bastante diferentes, com os fundos de shoppings entre os mais afetados, e em nível menor algumas negociações ou concessões em fundos de escritórios e logística.

“Nossa impressão geral é que os inquilinos dos FIIs listados na B3 são grandes empresas, em muitos casos multinacionais com operações em diversos mercados, e têm uma saúde financeira acima de média”, explicou.

FIIS: gestora lança o FOFII

Lançado em março deste ano, o FOFII administra cerca de R$ 40 milhões em recursos.

De acordo com Carvalho, o objetivo do Alianza FOFII Fundo de Investimento Imobiliário é obter retorno total superior ao IFIX no longo prazo, através do investimento ativo em cotas de FIIs.

Sua primeira distribuição pública de cotas foi na modalidade 476, aquela restrita a investidores profissionais, composta, em sua maioria, de fundos de investimento e pessoas físicas com volume investido em ativos financeiros superior a R$ 10 milhões.

Entretanto, o FOFII ainda está aberto para novos investidores. “O fundo já nasceu listado na B3, sob o ticker AFOF11”, disse.

A ideia para a formatação do produto é de aproveitar a isenção de imposto de renda nos rendimentos distribuídos pelo fundo, e já criar uma história na Bolsa para, no futuro breve, fazer uma nova oferta aberta para investidores em geral.

Gestor do FOFII, Paulo Castro diz acreditar que o Fundo teve seu início em um momento bastante oportuno, logo depois da maior queda do IFIX da história, o que permitiu montar a carteira inicial a preços extremamente favoráveis.

15-206-241-aptiv-espiritosantopinhal-sp-fotos-tratadas-dji-0062

FIIS: a tese do FOFII

De acordo com Castro, a tese de investimento do fundo se baseia em um viés favorável para o mercado imobiliário.

“Acreditamos que o segmento tem bastante espaço para desenvolvimento no Brasil e que os FIIs listados na B3 são um importante mecanismo de viabilização disso”, frisou.

Para ele, há um amadurecimento do mercado, com um número cada vez maior de transações relevantes no ambiente de FIIs listados, maior profissionalização dos gestores, desenvolvimento de research especializado e participação de investidores institucionais.

Também faz parte da tese ter uma gestora focada no setor imobiliário, com extenso track-record. Isso porque a Alianza administra mais de R$ 1 bilhão.

Outro pilar da tese, dizem, é ser um veículo ágil e adaptável a diferentes cenários, para, assim, navegar o ambiente atual de liquidez restrita e elevada volatilidade.