FII Summit: saiba como viver de renda com Fundos Imobiliários

Redação EuQueroInvestir
Colaborador do Torcedores
1

Foto: fundos imobiliários

Uma das estratégias mais antigas quando se fala em investimentos, com foco na obtenção de renda, é com a compra de imóveis. Diferente do passado, porém, hoje em dia não há necessidade de se empenhar enorme capital para aquisição de um único bem.

Com os fundos de investimento imobiliário (FIIs) é possível não só ter um, como diversos imóveis, com baixo custo – e com todos gerando renda.

Praticidade e precisão, saiba quais melhores investimentos e como melhorar rentabilidade de suas ações

Abrindo a série de reportagens sobre os temas que irão movimentar o FII Summit, evento organizado pela EQI Investimentos, TD e Clube FII, que acontece entre os dias 13 e 15 de abril, explicamos como é possível viver de renda com FIIs.

Como viver de renda

“O FII é um dos poucos ativos financeiros que podem gerar renda mensal”, diz o professor de finanças e apresentador do FIIS em Exame, Arthur Vieira de Moraes, que irá participar do FII Summit.

Veja aqui a programação completa

“E isso já pode acontecer a partir do primeiro mês”, acrescenta, reforçando que não há necessidade de o investidor acumular grandes valores para isso começar a acontecer.

Para entender como isso funciona é preciso entender, primeiramente, o conceito de Dividend Yield (DY).

Importante indicador para quem investe no mercado financeiro, o DY deve ser analisado especialmente por quem está interessado em receber rendimentos com regularidade.

Basicamente, o DY é a relação entre o total de dividendos pagos num período de 12 meses, dividido pelo preço da cota do FII em bolsa, multiplicado por 100. Esse cálculo vai trazer um porcentual; ou seja, quanto se ganha, proporcionalmente, em rendimentos sobre o valor da cota.

Objetivo de renda com FII

De toda forma, como explica Moraes, não são apenas os rendimentos que devem ser levados em consideração na hora da escolha por uma cota de FII.

Antes da rentabilidade, o importante é escolher um ativo cujo gestor olhe, em primeiro lugar, a preservação do patrimônio.

Pois, a palavra-chave deve ser a busca pela perpetuidade do FII, obtendo-se a valorização da cota, sobretudo, ao longo do tempo.

“Precisa haver um equilíbrio entre rentabilizar e preservar o patrimônio”, explica.

Dessa forma, uma métrica é escolher um ativo cuja rentabilidade esteja próxima da média do mercado – evitando distorções de curto prazo.

Ou seja, assim pode-se eliminar algum estratégia de gestores que visem ampliar a rentabilidade no curto prazo, como forma de atrair cotistas, deixando de lado algum eventual problema que possa vir mais para frente.

“O bom gestor é o que demonstra as melhores ações e reações, pensadas no longo prazo”, diz, reforçando que as decisões mais bem elaboradas são as que garantem o rendimento e a consistência da distribuição ao longo do tempo.

A escolha do melhor FII

Ainda seguindo o racional do longo prazo – afinal, estamos falando sobre ganhos de renda ao longo do tempo –, é importante lembrar que os mercados são cíclicos.

Dessa forma, olhar a carteira de forma diversificada pode ser uma excelente alternativa.

Por exemplo, atualmente, os fundos imobiliarios que investem em Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI), estão bem avaliados, mas podem em algum momento ser impactados, pois carregam indexações ligadas à inflação e aos juros.

Assim como os FII de shopping estão pressionados por conta das medidas restritivas em diversas cidades, o que deverá resultar em menores receitas e, consequentemente, distribuições de rendimentos no curto prazo.

No entanto, pode-se “especular” com a melhora do mercado de shoppings quando a vacinação contra Covid-19 gerar efeitos positivos à retomada econômica.

Outro exemplo é na análise da vacância, já que alguns imóveis podem estar com locação completa por serem em edifícios novos. Assim, a preocupação deve ser com a capacidade de o gestor manter um baixo nível de vacância ao longo do tempo.

Acumular patrimônio para gerar renda

Contudo, antes de mais nada, para poder se beneficiar do produto financeiro FII e obter renda mensal, seja aos 30 ou 70 anos, é preciso manter um padrão de gastos inferior aos ganhos.

Assim como adotar uma estratégia correta para os FIIs em carteira: isso pode acontecer com o reinvestimento dos rendimentos ou fazendo novos aportes constantemente.

“O que muda a vida financeira de uma pessoa é sua a capacidade de conseguir guardar dinheiro. Se alguém quer viver de renda, o primeiro passo é organizar suas finanças pessoais”, conclui Moraes.

Money Week 5ª Edição

5 Dias de Evento | 70 Autoridades do Mercado Financeiro | 20 Horas de Conteúdo

O que você vai ver também no FII Summit