Fundo Imobiliário RBRY11 aumenta número de cotas

Paulo Filipe de Souza
Colaborador do Torcedores

O Fundo de Investimento Imobiliário RBRY11 alterou a quantidade total de cotas para 1,07 milhão de papéis, agora o fundo possui um patrimônio calculado em R$ 114 milhões.

O RBR Private Crédito Imobiliário é um fundo de papel lançado em abril de 2018. De lá para cá, o RBRY11 teve uma valorização de 6,2%. Em agosto do ano passado, o valor da cota atingiu o valor de R$130 por papel.

Administrado pela BTG Pactual, o FII faz compras de Crédito Imobiliário. Além disso, o RBR Private Crédito Imobiliário precisa ter no mínimo 67% de seu patrimônio líquido em CRIs (Certificados de Recebíveis Imobiliários).

O FII tem um Dividend Yield de 0,74%. As taxas de administração cobradas pelo fundo são divididas em três categorias:

● Taxa de Administração: 0,2% a.a. sobre o PL do Fundo
● Taxa de Gestão: 1,1% a.a. sobre o PL do Fundo
● Taxa de Performance: 20% sobre o que exceder CDI

Estratégia de Investimentos

Desde de agosto do ano passado, o fundo segue três estratégia. A gestão do RBR Private Crédito Imobiliário dividiu da seguinte maneira:

Core (67%) – Principal e mais importante estratégia do Fundo:

• CRIs com rating RBR mínimo B;
• Operações exclusivas “off-Market”;
• Originação e estruturação própria.

Tático (27%) – Posições táticas em CRIs ou FIIs de CRI através de ofertas restritas:

• CRIs com carrego acima dos ativos de liquidez e potencial ganho de capital no curto prazo (exemplo CRI RNI);
• FIIs de CRI com estratégia complementar a da RBR. Diversificação e acesso a CRIs 476 exclusivos (exemplo BARI11);
• Ofertas exclusivas de FIIs de CRI com alto potencial de ganho de capital em janela de curto prazo de 6 a 12 meses (exemplo VRTA11).

Liquidez (6%) – Recursos aguardando alocação futura:

• Tesouro, Fundos de Renda Fixa, LCI, LIGs;
• FII de CRI com baixo risco e alta liquidez (exemplo KNCR11);
• O padrão será um caixa de ~5% para aproveitar; eventuais oportunidades.