FII: IFIX recua 0,10% no dia; BRCO11 e BTCR11 puxam queda

Regiane Medeiros
Economista formada pela UFSC. Produz conteúdo na área de mercado de capitais, finanças pessoais e atualidades.
1

Crédito: Pixabay

Em um dia com poucas oscilações, o IFIX fechou a sessão desta quinta-feira, 17, em queda de 0,1%, aos 2.800,04 pontos.

A mínima do dia coincidiu com o fechamento, 2.800,04 pontos, já a máxima para o índice de FIIs foi de 2.805,72 pontos.

No acumulado de setembro, o IFIX registra avanço de 0,64%. No ano, a desvalorização é de 12,3%.

Participe do maior evento de investimentos da América Latina

A movimentação financeira para esta quinta foi de R$ 152,69 milhões.

Maiores altas

Entre os Fundos Imobiliários que puxaram a alta estavam: Hectare CE (HCTR11), VBI CRI (CVBI11), Via Parque Shopping (FVPQ11), SP Downtown (SPTW11), Santander Papéis Imobiliários (SADI11).

Na contramão, as maiores quedas da carteira foram em: Bresco Logística (BRCO11), BTG Pactual Crédito Imobiliário (BTCR11), CSHG Recebíveis Imobiliários (HGCR11), Santander Renda de Aluguéis (SARE11), XP Selection (XPSF11).

Veja o gráfico do dia

Fonte:B3

FII: Maiores Altas

Empresa (ticker)PreçoOscilação
HCTR11R$ 125,172,02%
CVBI11R$ 94,011,91%
FVPQ11R$ 167,501,65%
SPTW11R$ 87,861,62%
SADI11R$ 89,801,47%

FII: Maiores Baixas

Empresa (ticker)PreçoOscilação
BRCO11R$ 127,15-1,43%
BTCR11R$ 85,33-1,34%
HGCR11R$ 102,59-1,24%
SARE11R$ 100,00-1,24%
XPSF11R$ 96,92-1,08%

IFIX versus ações

Criado pela Bolsa brasileira, o IFIX tem por objetivo medir a performance de uma carteira.

Trata-se de uma composição de cotas de Fundos Imobiliários que são listados para negociação nos ambientes administrados pela bolsa. Entretanto, esse indicador costuma variar bem menos que o próprio Ibovespa.

Em comparação à bolsa, nesta quinta-feira, o conjunto de fundos de investimentos imobiliários registrou desvalorização, em sentido contrário ao principal índice da bolsa, que avançou 0,42%.

Confira a movimentação de FII

RELG11

A BRL Trust, administradora do FII REC Logística (RELG11), comunicou a abertura da 2ª emissão de cotas do Fundo.

Desses modo, a nova emissão será de 2 milhões de cotas, sendo que essa quantidade poderá ser acrescida em até 20%.

O preço de aquisição por cota da 2ª emissão foi definido em R$ 100,00, já considerada a taxa de distribuição primária.

Como resultado, o Fundo pretende levantar o montante de R$ 200 milhões.

O administrador ressalta que a oferta está sob análise da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), a qual ainda não se manifestou a respeito.

O RELG11é um fundo imobiliário do tipo híbrido. Seu objetivo é proporcionar rentabilidade aos cotistas através da aquisição de imóveis prontos, terrenos ou imóveis em construção, destinados à exploração de atividades logísticas, de armazenamento, distribuição, comerciais ou industriais.

BMLC11B

O BTG Pactual, na qualidade de administrador do FII BM Brascan Lajes Corporativas (BMLC11B), informou que recebeu uma notificação da Honeywell do Brasil, comunicando a intenção de realizar a rescisão do contrato de locação.

Atualmente a locatária ocupa parte do 40º andar do Imóvel Torre Sul, pertencente ao FII.

Com a possível saída da locatária, a ocupação total dos imóveis do Fundo será reduzida de 98,27% para 92,87%.

O administrador informou ainda que a rentabilidade do Fundo será impactada negativamente em 9,40%, em comparação a distribuição do mês de agosto de 2020. De tal forma que o impacto na distribuição de rendimentos mensais será de, aproximadamente, R$ 0,05 por cota do Fundo.