Fiesp reafirma apoio ao governo Bolsonaro

Fernando Augusto Lopes
Redator e editor

Crédito: Roberto Casimiro / Fotoarena / Agência O Globo

Paulo Skaf, presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), em artigo publicado no jornal Folha de S. Paulo nessa quarta-feira (22), reafirma seu apoio ao governo de Jair Bolsonaro. Para ele, o presidente “pôs o país no rumo certo”.

“Apoiamos o governo Bolsonaro? Sim”, escreve. “Ele promove a agenda econômica que sempre defendemos, de controle de gastos públicos, reformas estruturais, redução de juros, desburocratização… Bolsonaro colocou o país no rumo certo e tem dado demonstrações concretas de estar comprometido com o crescimento e com a geração de empregos”.

Apesar de ter apoiado ferozmente o impeachment da presidente Dilma Rousseff e Paulo Skaf ser militante do MDB, partido pelo qual saiu candidato ao governo do estado, em 2018 (não chegou nem ao segundo turno), a Fiesp se diz “uma entidade política, mas não partidária”.

“Por isso, assumimos publicamente nossas posições e a defesa dos setores produtivos, do emprego e do bem do Brasil”, diz o artigo. “Não temos medo de lutar pelo que acreditamos. Foi assim que lideramos as mais importantes campanhas do país nos últimos anos. Derrubamos a CPMF, barramos o aumento de impostos, combatemos os juros altos… Quando percebemos que a gestão da presidente Dilma Rousseff (PT) levaria o país ao abismo, tivemos a coragem de ser a primeira entidade a apoiar a população brasileira e o impeachment”.

Uma nova Fiesp

Skaf enumera feitos à frente da entidade para mostrar a mudança sob sua gestão: “a Fiesp está mais viva do que nunca. É uma entidade pulsante, que trabalha pelo Brasil e enfrenta os desafios do futuro. Nos últimos anos, recuperamos nosso lugar como principal porta-voz dos setores produtivos. Temos orgulho disso”.

Sobre o Sesi e o Senai, Skaf afirma que “quando assumimos, o Sesi estava fechando escolas. Revertemos esse absurdo e fomos além: construímos mais de uma centena de grandes e moderníssimas escolas pelo estado, com ensino em tempo integral e robótica. Investimos em esporte e cultura. No Senai, renovamos todos os equipamentos e laboratórios”.

“Hoje temos mais de 1.500 cursos, da aprendizagem industrial à pós-graduação, todos com foco em tecnologia e inovação. No total, são mais de 1 milhão de matrículas por ano”, completa.

“Todos que querem participar da Fiesp são bem-vindos. São cerca de 6.000 dirigentes empresariais voluntários. Lideranças importantes em suas empresas, setores e entidades. Nossas posições são claras, firmes e transparentes, sempre em defesa do Brasil. Essa é a nossa Fiesp”, diz.

Por fim, Skaf afirma que a entidade precisa, sim, ter posicionamento político: “uma Fiesp indecisa e sem voz perde a razão de ser. Era assim quando assumimos. Nunca concordamos com isso. Atacar nossa entidade por ter posicionamento político só interessa a quem não tem compromisso com os setores produtivos nem com o Brasil. Ou a quem se deixa consumir pelo recalque e pela inveja”.