Fiesp: atividade industrial paulista tem forte crescimento no 3º trimestre

Victória Anhesini
Jornalista formada pela Universidade Presbiteriana Mackenzie
1

Crédito: Divulgação

O Levantamento de Conjuntura, divulgado nesta quinta-feira (29) pela Fiesp e Ciesp, aponta que as vendas reais da indústria de transformação paulista registraram avanço de 8,1% na passagem de agosto para setembro. 

De acordo com o resultado, as vendas reais encerraram o terceiro trimestre com alta de 33,3% frente ao anterior. As horas trabalhadas na produção cresceram 2,1% entre agosto e setembro. Além disso, registraram alta de 22,4% no 3º trimestre com relação ao 2º trimestre. 

O Nível de Utilização da Capacidade Instalada (NUCI) atingiu 76,8%, subindo 0,2 p.p com relação a agosto. Com relação ao 2º trimestre, o NUCI aponta alta de 9 p.p.

BDRs| Aprenda mais sobre essa classe de Ativos

Os salários reais médios mantiveram a tendência de recuperação iniciada em junho e cresceram 0,2% em setembro frente a agosto e 10,8% na comparação com o 2º trimestre. Conforme o levantamento, todos os dados estão livres de efeitos sazonais.

Vendas

As vendas reais em setembro ficaram 14,4% acima do nível pré-pandemia.

Por consequência, isso ilustra o forte dinamismo das vendas da indústria após o período mais agudo da crise do coronavírus. 

O NUCI supera em 1,1 p.p o nível pré-pandemia, entretanto, o indicador ainda está 2,6 p.p abaixo da média histórica (79,4%), refletindo um quadro de elevada ociosidade da indústria paulista. 

Os salários reais em setembro também superaram o nível pré pandemia em 0,2%. Por fim, as horas trabalhadas na produção estão apenas 0,7% abaixo de fevereiro.

Sensor 

A trajetória de recuperação da indústria paulista se manteve no início do 4º trimestre. Em outubro, a pesquisa Sensor fechou em 52,1 pontos, na série com ajuste sazonal.

Conforme os dados, o resultado é superior a leitura de setembro quando marcou 50,7 pontos. Pelo segundo mês consecutivo o indicador registra resultado positivo (acima dos 50 pontos) e sinaliza melhora da atividade industrial paulista para o mês corrente.

O item condições de mercado passou de 54,9 pontos em setembro para 52,8 pontos no mês corrente. Apesar do recuo, o indicador permaneceu no campo expansão (acima dos 50 pontos) e indica melhora das condições de mercado.

Estoque da indústria

Além disso, as vendas da indústria apresentaram virtual estabilidade. O indicador variou apenas 0,3 pontos, de 52,5 pontos em setembro para 52,8 em outubro. No entanto, ao permanecer acima 50 pontos, indica expectativa de aumento das vendas da indústria paulista.

O indicador de estoque da indústria melhorou em relação ao mês anterior e continua com os níveis ajustados. O índice variou de 53,1 pontos para 54,8 pontos. Leituras superiores a 50 pontos indicam estoque abaixo do desejável no período.

O índice de nível de emprego avançou 3,1 pontos em outubro, passando de 45,7 pontos no mês anterior para 48,8 este mês.

Resultados abaixo dos 50 pontos indicam expectativa de demissões para o mês, porém, reduzindo o ritmo desse movimento com relação a setembro.

Por fim, o indicador que mede as intenções de investimentos cresce pelo sexto mês consecutivo. Ao atingir 48,8 pontos, o componente manteve a tendência de recuperação.

Entretanto, permanece abaixo dos 50 pontos, o que indica redução dos investimentos no período.