FGV: Indicador Antecedente de Emprego volta a nível pré-pandemia

Matheus Gagliano
Colaborador do Torcedores

Crédito: Reprodução/Pixabay

O Indicador Antecedente de Emprego (IAEmp), do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas (Ibre/FGV) atingiu 89,2 pontos em julho. De acordo com a pesquisa, este é o maior nível desde fevereiro de 2020, ou seja: o maior desde a pré-pandemia.

A alta com relação à sondagem anterior é de 1,6 ponto. No segundo mês do ano passado, esse indicador havia atingido 92 pontos. De acordo com o Ibre/FGV, em médias móveis trimestrais, o IAEmp variou 3,5 pontos, para 86,7 pontos.

Praticidade e precisão, saiba quais melhores investimentos e como melhorar rentabilidade de suas ações

Rodolpho Tobler, economista do Ibre/FGV, diz que o indicador mantém a tendência positiva dos últimos meses, retornando aos níveis pré-pandemia.

Money Week 5ª Edição

5 Dias de Evento | 70 Autoridades do Mercado Financeiro | 20 Horas de Conteúdo

FGV

FGV: resultado sugere retomada do mercado de trabalho

Ainda de acordo com o economista, o resultado sugere que pode estar ocorrendo uma retomada do mercado de trabalho. Isto porque está sendo observada uma nos números da pandemia e a redução das medidas restritivas.

Além disso, explica ele, também há uma expectativa mais favorável em serviços, setor que emprega muito, com a maior circulação de pessoas.

Porém, ele destaca que ainda existe um espaço para recuperação e que até mesmo o nível pré pandemia ainda retratava um cenário desafiador no mercado de trabalho.

Destaques da pesquisa

Dos sete componentes do pesquisados eplo IAEmp, cinco contribuíram para a alta do mês. O destaque fica por conta do indicador que mede a situação corrente dos negócios no setor dos Serviços, cujo aumento de 10,2 pontos na margem, contribuiu com 1,4 ponto (ou 87%) para a alta do indicador agregado.

Os itens que apresentaram queda foram sondagem da indústria – emprego previsto, que teve redução de 0,5 ponto; e situação atual dos negócios. Este item caiu 0,1 ponto.