FGV: Indicador Antecedente de Emprego sobe e volta a patamares de janeiro

Cláudia Zucare Boscoli
Jornalista formada pela Cásper Líbero, com pós-graduação em Jornalismo Econômico pela PUC-SP, especialização em Marketing Digital pela FGV e extensão em Jornalismo Social pela Universidade de Navarra (Espanha), com passagens por IstoÉ Online, Diário de S. Paulo, O Estado de S. Paulo e Editora Abril.
1

Crédito: Crédito da imagem: Tiago Queiroz/Estadão

O Indicador Antecedente de Emprego (IAEmp), da FGV, subiu 4,7 pontos em maio, chegando a 83,4 pontos. Em médias móveis trimestrais, o IAEmp variou 0,1 ponto, para 79,7 pontos, interrompendo a sequência de queda iniciada em janeiro de 2021.

Com a recuperação dos últimos dois meses, o indicador volta ao mesmo patamar do início do ano – em janeiro, a leitura era de 83,5 pontos. Comparativamente, em maio de 2020, ainda início da pandemia, o indicador marcava 42,7 pontos.

“A melhora nas expectativas para o mercado de trabalho tem sido influenciada pela flexibilização das medidas restritivas e pelo avanço do programa de vacinação. O cenário para os próximos meses parece ser de continuidade, mas ainda de maneira gradual e com alguns riscos, em especial, o de novas ondas da pandemia”, explica o economista Rodolpho Tobler.

Aprenda hoje a investir em Small Caps e encontre as oportunidades escondidas na Bolsa.

O IAEmp é construído como uma combinação de séries extraídas das Sondagens da Indústria, de Serviços e do Consumidor, tendo capacidade de antecipar os rumos do mercado de trabalho no país. O indicador é positivamente relacionado com o nível de emprego no país.

antecedente de emprego

Reprodução/FGV