FGV: IGP-DI registra inflação de 3,30% em setembro

Victória Anhesini
Jornalista formada pela Universidade Presbiteriana Mackenzie
1

Crédito: Reprodução/FGV

A Fundação Getulio Vargas (FGV) divulgou nesta quarta-feira (07) o Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna (IGP-DI).

Houve variação de 3,30% em setembro, valor menor que no mês anterior, quando havia registrado taxa de 3,87%.

Com este resultado, o índice acumula alta de 14,80% no ano e de 18,44% em 12 meses.

Em agosto de 2019, o índice havia variado 0,50% e acumulava elevação de 3,00% em 12 meses.

Aceleração

De acordo com André Braz, coordenador dos Índices de Preços, apesar do recuo da taxa do IGP, o IPC e o INCC seguem em aceleração. Ainda mais, o IPA, índice de maior peso no IGP, subiu menos em setembro, 3,30%.

“Para o consumidor, o desafio persiste nas despesas com alimentação, cujos preços avançaram em média 1,81%. Para a construção civil, os preços de materiais, equipamentos e serviços, embalados pela desvalorização cambial, subiram 2,5%”, afirmou Braz.

Conforme o coordenador, os grupos matérias-primas brutas e bens intermediários registraram desaceleração durante o período. As quedas que contribuíram para este movimento foram minério de ferro (17,11% para 1,67%) e óleo diesel (6,44% para -9,65%).

O Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) variou 4,38% em setembro, após subir 5,44% em agosto. Na análise por estágios de processamento, a taxa do grupo Bens Finais passou de 1,93% em agosto para 2,74% em setembro. Por fim, responsável por este avanço foi, principalmente, o subgrupo alimentos in natura, indo de -1,75% para 2,86%.

Já o Índice de Preços ao Consumidor (IPC) subiu 0,82% em setembro, após registrar 0,53% em agosto. Três das oito classes de despesas do índice tiveram aumento: Educação, Leitura e Recreação (0,05% para 3,19%), Alimentação (0,81% para 1,81%) e Vestuário (-0,45% para 0,01%).

O núcleo do IPC apresentou alta, com a taxa de 0,22% em setembro, ante 0,19% no mês anterior. Por fim, o índice de difusão, que mede a proporção de itens com taxa de variação positiva, ficou em 68,71% O valor é 10,00 pontos percentuais acima do registrado em agosto, quando o índice foi de 58,71%.