FGV aponta melhora na confiança da indústria em maio

Cláudia Zucare Boscoli
Jornalista formada pela Cásper Líbero, com pós-graduação em Jornalismo Econômico pela PUC-SP, especialização em Marketing Digital pela FGV e extensão em Jornalismo Social pela Universidade de Navarra (Espanha), com passagens por IstoÉ Online, Diário de S. Paulo, O Estado de S. Paulo e Editora Abril.
1

A Fundação Getulio Vargas (FGV) publicou nesta quinta-feira (21) uma prévia da Sondagem da Indústria de maio. O resultado aponta um avanço de 2,4 pontos no Índice de Confiança da Indústria (ICI) na comparação com abril. O indicador está, atualmente, em 60,6 pontos.

No mês passado, o ICI caiu 39,3 pontos, na maior queda mensal já registrada e menor leitura desde o início da pesquisa, em 2001. Em abril, o indicador ficou em 58,2 pontos.

A leve alta da confiança, segundo a FGV, resulta de uma reavaliação das expectativas dos empresários para os próximos três e seis meses.

O Índice de Expectativas apresentou variação de 4,6 pontos, chegando a 54,2 pontos, o que seria uma devolução de 10% da perda sofrida em abril.

O Índice de Situação Atual apontou estabilidade, passando de 67,4 pontos, para 67,7 pontos.

O resultado preliminar de maio indica recuperação de 3,7 pontos percentuais do Nível de Utilização da Capacidade Instalada da Indústria (NUCI), para 61,0%. Ainda assim, o resultado está em patamar muito baixo em termos históricos.

Para a prévia, foram consultadas 790 empresas entre os dias 1 e 19 de maio. O resultado final da pesquisa será divulgado na próxima quarta-feira, dia 27.

confiança da indústria

Pesquisa CNI

Ontem (2º), a Confederação Nacional da Indústria (CNI) também divulgou sua Sondagem Industrial, mas ainda relativa ao mês de abril.

O índice de evolução da produção encontra-se em 26 pontos. A leitura ainda se encontra distante dos 50 pontos que separam estagnação e crescimento. Em março, era de 33,3 pontos.

O resultado é decorrente da crise do coronavírus e das medidas de isolamento social adotadas para conter a pandemia.

Leia também:

EQI Investimentos: os benefícios de se ter um assessor de investimentos

FGV aponta que confiança cresce para empresários e consumidores
Pandemia é principal fator de restrição ao aumento da produção industrial