Fed mantém tom paciente em termos de aperto da política monetária

Felipe Moreira
Especialista em Mercado de Capitais e Derivativos pela PUC - Minas, com mais de 8 anos de vivência no mercado financeiro e de capitais. Certificações: CPA-10, CPA-20 e AAI. Apaixonado por educação financeira e investimentos.
1

Crédito: Divulgação

O Fed (Federal Reserve, o banco central americano) divulgou nesta quarta-feira (7) a ata do Fomc (Comitê Federal de Mercado Aberto, na sigla em inglês), formado por dirigentes da instituição.

Atingir um patrimônio de R$ 100 mil é para poucos, o que amplia o desafio de busca pelas melhores aplicações para multiplicá-lo

A ata sinaliza que a instituição espera manter a política monetária e as compras de ativos, até que sejam atingidas as metas de pleno emprego e inflação.

Ou seja, as autoridades do Fed avaliaram que o objetivo de mais progresso substancial da recuperação dos EUA ainda não fora atingido de forma geral.

O grupo de formulação de políticas do Fed manteve sua taxa de referência em uma faixa entre 0% e 0,25%. O resultado veio de acordo com as expectativas do mercado.

Mas, em entrevista coletiva após a reunião, o presidente Jerome Powell indicou que os membros do comitê tiveram suas primeiras discussões sobre a redução do ritmo de compras de títulos que o banco central faz a cada mês.

Quer começar o dia bem-informado com as notícias que vão impactar o seu bolso? Clique aqui e assine a newsletter EQI HOJE!

O Fed está comprando pelo menos US$ 80 bilhões em títulos do Tesouro e US$ 40 bilhões em títulos lastreados em hipotecas.

O documento é um registro da última reunião do Fed, entre 16 e 17 de junho de 2021.

Riscos à inflação crescem mas seguem temporários

No documento, vários dirigentes temem que expectativas de inflação de longo prazo cresçam demais.

Apesar disso, outros dirigentes advertiram que riscos à inflação seguem temporários.

Alta na inflação é, em grande medida, por fatores temporários e ela deve voltar à meta. Os membros olharão para dados de saúde, mercado de trabalho e inflação.

Membros julgaram que a maioria dos impactos da pandemia sobre a economia passaram.

Indicadores econômicos apresenta fortalecimento

O Fed disse que os indicadores de atividade econômica e emprego têm se fortalecido. De acordo com a ata, os setores mais afetados pela pandemia seguem fracos, mas mostram melhora.

A inflação teve alta nos EUA, como reflexo de fatores transitórios. No geral, condições financeiras seguem acomodatícias, em parte por medidas de apoio.

O progresso na vacinação contra Covid-19 deve seguir reduzindo os efeitos da crise da pandemia, mas há riscos.

Por fim, o Fed diz que usará de toda a gama de ferramentas em prol de metas de emprego e inflação.

Reação do mercado

A primeira reação à ata do Fed foi de otimismo cauteloso. As bolsas em NY ganham algum fôlego — embora sem muita consistência.

O S&P 500 avançou 0,34%, o Nasdaq subiu 0,01% e Dow Jones teve alta de 0,30%.

Com a leve melhora das bolsas em Nova York depois da ata do Fed, o Ibovespa ultrapassou os 127 mil pontos, mas já voltou e opera aos 126.981 pontos.

No câmbio, o dólar fechou em alta de 0,60%, a R$ 5,2403, depois de oscilar entre a mínima de R$ 5,1708 e a máxima de R$ 5,2807.