Facebook (FBOK34) reporta crescimento de 94% no lucro líquido no 1T21, para US$ 9,5 bilhões

Fernando Augusto Lopes
Redator e editor
1

Crédito: Thomas Ulrich/Pixabay

O Facebook (FBOK34) divulgou nesta quarta-feira (28) o balanço do primeiro trimestre de 2021 (1T21) com lucro líquido de US$ 9,497 bilhões, o que representa 94% de aumento, em comparação aos US$ 4,902 bilhões do 1T20.

Atingir um patrimônio de R$ 100 mil é para poucos, o que amplia o desafio de busca pelas melhores aplicações para multiplicá-lo

O lucro por ação seguiu o mesmo crescimento, passando de US$ 1,17 no 1T20 para US$ 3,30 agora, aumento de 93%. O mercado projetava US$ 2,37 por ação.

Acesse esse material especial para avaliar resultados, performance e dividendos dos melhores FIIs no mercado.

“Tivemos um trimestre forte porque ajudamos as pessoas a se manterem conectadas e os negócios a crescer”, disse Mark Zuckerberg, fundador e CEO do Facebook. “Continuaremos a investir agressivamente para entregar experiências novas e significativas nos próximos anos, incluindo em áreas mais novas como realidade aumentada e virtual, comércio e economia do criador”.

Entretanto, no 4T20,o Facebook teve lucro líquido de US$ 11,219 bilhões.

Você sabia que algumas das maiores oportunidades de ganhos da bolsa estão nas Small Caps? Quer saber mais sobre essas ações e como investir? 

Receita do Facebook também cresceu

A empresa registrou receita de US$ 26,171 bilhões no trimestre, um aumento de 48% em comparação com o ano anterior, quando anotou US$ 17,737 bilhões.

Quer começar o dia bem-informado com as notícias que vão impactar o seu bolso? Clique aqui e assine a newsletter EQI HOJE!

Publicidade segue sendo sua grande geração de receita. No 1T21 conseguiu US$ 25,439 bilhões, 46% a mais do que os US$ 17,440 bilhões do mesmo período um ano antes.

Outras receitas geraram US$ 732 milhões, o que representa uma vez e meia os US$ 297 milhões no mesmo item em 2020.

Outros resultados

O gigante das mídias sociais ainda reportou usuários ativos diários (DAUs) em 1,88 bilhão; e usuários ativos mensais (MAUs): 2,85 bilhões, ambos em linha com a projeção de mercado.

Assim, a receita média por usuário (ARPU) ficou em US$ 9,27, 10% acima do projetado pelos analistas.

O Facebook disse que conta com 3,45 bilhões de usuários mensais em sua família de aplicativos, em comparação com 3,30 bilhões no trimestre anterior. Essa métrica é usada para medir a base total de usuários do Facebook em seu aplicativo principal, somando-se ao Instagram, Messenger e WhatsApp.

Obstáculo no segundo trimestre

A empresa ainda espera que o crescimento da receita total do segundo trimestre de 2021 em relação ao ano anterior permaneça estável ou acelere modestamente em relação à taxa de crescimento no primeiro trimestre de 2021, “à medida que retomamos o crescimento mais lento relacionado à pandemia durante o segundo trimestre de 2020”, disse o Facebook em nota.

“No terceiro e No quarto trimestre de 2021, esperamos que as taxas de crescimento da receita total ano a ano desacelerem significativamente, sequencialmente, à medida que percorremos períodos de crescimento cada vez mais fortes. Continuamos a esperar um aumento na segmentação de anúncios em 2021 com as mudanças regulatórias e de plataforma, notadamente a atualização do iOS 14.5 lançada recentemente, que esperamos começar a ter um impacto no segundo trimestre. Isso é levado em consideração em nossa perspectiva”, sublinhou.

Tal atualização pode tornar mais difícil para a empresa personalizar anúncios para usuários de iPhone e iPad.

Instagram

Zuckerberg também reiterou uma série de novos recursos que o Facebook está desenvolvendo para que os criadores do Instagram ganhem dinheiro. Ele disse que esses recursos vão incentivar os criadores a postar mais conteúdo no Instagram.

“Se nos tornarmos o Instagram melhor para os criadores de conteúdo ganharem a vida, isso significará que haverá melhor conteúdo em todos os serviços e melhores oportunidades para construir comunidades e envolver as pessoas”, disse Zuckerberg. “E é isso que nos preocupa”.

Um dos principais exercícios para a compra de uma ação é saber se ela está cara ou barata. Para isso, preparamos um material especial para ajudá-lo nesta análise.