Ex-CEO da WeWork perde patrimônio e deixa de ser bilionário

Rebeca Torres
null

Crédito: Fortune Conferences / Creative Commons

Adam Neumann, ex-CEO da WeWork, não é mais bilionário. Ele viu boa parte de seu patrimônio ruir após anúncio do Softbank, de acordo com reportagem feita pelo portal da revista Exame.

O conglomerado japonês desistiu de uma oferta pública da aquisição de US$ 3 bilhões em ações da WeWork, o que agravou ainda mais a crise da empresa de escritórios compartilhados.

O plano principal do Softbank, após desistência da abertura de capital por parte da WeWork, era comprar 970 milhões de dólares em ações de Neumann – que está afastado da presidência da empresa desde setembro do ano passado.

Com o cancelamento da compra, o ex-presidente ficou com ações que custam bem menos do valor que o Sofbank pretendia pagar, segundo análise da Agência Bloomberg.

Patrimônio de Neumann encolhe

Por esse motivo, conforme o índice de bilionários da Bloomberg, o patrimônio de Neumann encolheu 97% em menos de um ano.

Estima-se que ele tenha perdido aproximadamente US$ 13,5 bilhões, ficando com cerca de US$ 450 milhões.

O Softbank informou, em um comunicado, que não seria mais capaz de continuar com essa transação.

Como forma de justificar sua saída, o grupo citou investigações criminais e civis na startup, o fracasso da WeWork em reerguer uma joint venture na China e o impacto da pandemia de coronavírus no negócio da empresa.