EUA: vendas no varejo sobem 0,6% em agosto, abaixo da projeção

Cláudia Zucare Boscoli
Jornalista formada pela Cásper Líbero, com pós-graduação em Jornalismo Econômico pela PUC-SP, especialização em Marketing Digital pela FGV e extensão em Jornalismo Social pela Universidade de Navarra (Espanha), com passagens por IstoÉ Online, Diário de S. Paulo, O Estado de S. Paulo e Editora Abril.
1

As vendas no varejo dos Estados Unidos subiram 0,6% em agosto. Em julho, o indicador teve alta de 0,9%. A projeção do mercado era por leitura maior, de 1%.

As vendas totais somaram US$ 537,5 bilhões.

Os dados foram divulgados nesta terça-feira (16) pelo Departamento de Comércio dos EUA.

Ferramenta ajuda na escolha de suas ações de acordo com balanços

Excluindo-se automóveis, as vendas no setor varejista americano cresceram 0,7% na comparação mensal de agosto. Neste caso, a projeção do mercado era de alta um pouco maior, de 0,8%.

Fim do auxílio impacta nas vendas

Segundo a Bloomberg, o fim dos pagamentos do auxílio de US$ 600 semanais à população durante a pandemia contribuiu para a queda nas vendas.

Democratas e republicanos ainda seguem sem uma definição quanto ao pacote de auxílio financeiro, que incluiria um novo valor do seguro-desemprego.

Os interesses eleitorais atrapalham as negociações, já que a eleição para a presidência acontece em novembro.

O benefício de US$ 600 semanais foi pago até o final do mês de julho. Desde então, o que vale são os US$ 400 semanais determinados por ordem executiva do presidente Donald Trump – US$ 300 pagos pelo governo federal, e US$ 100 complementados pelos estados.