EUA: pedidos por seguro-desemprego recuam a 364 mil, melhor que a projeção

Cláudia Zucare Boscoli
Jornalista formada pela Cásper Líbero, com pós-graduação em Jornalismo Econômico pela PUC-SP, especialização em Marketing Digital pela FGV e extensão em Jornalismo Social pela Universidade de Navarra (Espanha), com passagens por IstoÉ Online, Diário de S. Paulo, O Estado de S. Paulo e Editora Abril.
1

Crédito: Reprodução/Pixabay

Os novos pedidos de seguro-desemprego nos EUA foram divulgados nesta quinta-feira (1) e vieram em 364 mil. A expectativa do mercado era por avanço maior, de 390 mil.

Houve uma diminuição de 51 mil em relação ao nível revisado da semana anterior. Este é o nível mais baixo para reivindicações desde 14 de março de 2020, quando era de 256 mil. O nível da semana anterior foi revisado para cima em 4 mil, de 411 mil para 415 mil.

Praticidade e precisão, saiba quais melhores investimentos e como melhorar rentabilidade de suas ações

O resultado do seguro-desemprego vem um dia antes do payroll, folha de pagamentos oficial dos EUA, que deve dar novas pistas sobre a retomada do emprego e o caminho que o Fed deve tomar com sua política monetária. Resultados acima da projeção tendem a pressionar por retirada de estímulos.

Ontem (1), a pesquisa ADP, considerada uma prévia do payroll, mas que não contabiliza os cargos públicos, apontou aumento de 692 mil vagas em junho, acima dos 550 mil estimados pela Dow Jones; mas ficou abaixo de maio, com 886 mil postos (revisados dos 978 mil anunciados anteriormente).

Money Week 5ª Edição

5 Dias de Evento | 70 Autoridades do Mercado Financeiro | 20 Horas de Conteúdo

seguro-desemprego

Reprodução/Departamento de Trabalho EUA