EUA querem acordo com Reino Unido e União Europeia

Gabriela Brands
Profissional com graduação em Jornalismo, pós-graduação em Planejamento em Comunicação e Gestão de Crises de Imagem e em Marketing. Tem experiência sólida em Comunicação Política, Assessoria de Imprensa e Gestão de Crises.
1

Crédito: Foto Pública

Depois do avanço do acordo comercial entre China e Estados Unidos e a assinatura do termo entre o país, México e Canadá, a equipe de Donald Trump quer estabelecer contratos com o Reino Unido e a União Europeia. O presidente americano tem interesse em fechar os pactos antes das eleições de novembro.

No entanto, algumas dificuldades podem ser apresentar durante as negociações. O Reino Unido só pode começar a tratar do acordo depois de deixar a União Europeia, no final deste mês. Além disso, Trump tem planos de ampliar o acesso de empresas farmacêuticas ao Serviço Nacional de Saúde da Grã-Bretanha. O interesse do presidente americano é uma das principais barreiras para o pacto.

O compromisso do Reino Unido com as regras de segurança alimentar da União Europeia também pode ser um obstáculo. Certos produtos agrícolas como carne bovina e frango, tratados com hormônios e água clorada, não são aceitos pelo bloco europeu.

Aprenda hoje a investir em Small Caps e encontre as oportunidades escondidas na Bolsa.

Apesar dos entraves, o presidente americano está otimista com o possível acordo. Trump disse que os EUA e o Reino Unido estarão livres para firmar um pacto após o Brexit. Segundo ele, o acordo tem potencial para ser maior e mais lucrativo do que qualquer negócio com a União Europeia.

Mas um acordo comercial com o bloco também tem o interesse de Trump. Durante o Fórum Econômico Mundial em Davos, o presidente cobrou uma solução para as negociações. Trump chegou a anunciar a disposição em conversar com a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen.

Entretanto, Trump também ameaçou os europeus com a imposição de novos impostos se as negociações comerciais não avançarem. Para ele, a União Europeia precisa dos Estados Unidos.