EUA: preços ao produtor recuam 0,2% em março

Cláudia Zucare Boscoli
Jornalista formada pela Cásper Líbero, com pós-graduação em Jornalismo Econômico pela PUC-SP, especialização em Marketing Digital pela FGV e extensão em Jornalismo Social pela Universidade de Navarra (Espanha), com passagens por IstoÉ Online, Diário de S. Paulo, O Estado de S. Paulo e Editora Abril.
1

Crédito: Divulgação

O Índice de Preços ao Produtor (IPP) dos Estados Unidos caiu 0,2% em março, segundo relatório publicado nesta quinta-feira (9) pelo Bureau of Labor Statistics, do Departamento de Comércio norte-americano.

A expectativa do mercado era de recuo de 0,4%. Em fevereiro, os preços já haviam recuado para -0,6%

Até janeiro, a trajetória era de alta – naquele mês, o registro foi de 0,5%. No acumulado de 12 meses encerrados em março, o índice avançou 0,7%.

De acordo com o relatório, a queda foi impactada principalmente pela redução nos preços dos bens de demanda final.

O núcleo do IPP, que é calculado excluindo alimentos e energia, teve queda de 0,2%. Foi a maior desde outubro de 2015.

IPP: metodologia foi mantida, mesmo com pandemia

O Índice de Preços ao Consumidor calcula a variação da inflação nos preços médios recebidos pelos produtores nacionais de bens e serviços.

No relatório de março, o Bureau of Labor Statistics esclarece que o resultado e a metodologia do estudo não foram modificados em decorrência do coronavírus. Isto porque os dados são coletados via respostas espontâneas e eletrônicas feitas pelas empresas.

Leia também: EUA têm 16 milhões de pedidos de seguro-desemprego em três semanas