EUA: pedidos de seguro-desemprego vêm em linha com o esperado

Cláudia Zucare Boscoli
Jornalista formada pela Cásper Líbero, com pós-graduação em Jornalismo Econômico pela PUC-SP, especialização em Marketing Digital pela FGV e extensão em Jornalismo Social pela Universidade de Navarra (Espanha), com passagens por IstoÉ Online, Diário de S. Paulo, O Estado de S. Paulo e Editora Abril.
1

Os novos pedidos por seguro-desemprego nos Estados Unidos vieram em linha com o aguardado pelo mercado. Ficaram em 1,877 milhões na semana encerrada em 30 de maio, segundo divulgação do Departamento de Trabalho norte-americano nesta quinta-feira (4). O mercado projetava 1,8 milhões.

Pela primeira vez, desde o início da crise do coronavírus, os pedidos registraram um montante inferior a 2 milhões de pedidos semanais. E eles confirmam a queda que vem sendo verificada semana a semana, desde o recorde de 6,86 milhões da semana encerrada em 28 de março.

Com o resultado, o montante de desemprego gerado pela crise do coronavírus ultrapassa os 42 milhões.

Os dados da semana passada foram revisados de 2.123 milhões para 2.126 milhões.

seguro-desemprego

Confira como foram os pedidos de auxílio nas 11 semanas desde o início da crise:

  • 4/5: 1,877 milhões
  • 28/5: 2,126 milhões
  • 21/5: 2,446 milhões
  • 14/5: 2,687 milhões
  • 7/5: 3,176 milhões
  • 30/4: 3,846 milhões
  • 23/4: 4,442 milhões
  • 16/4: 5,237 milhões
  • 9/4: 6,615 milhões
  • 2/4: 6,867 milhões
  • 26/3: 3,307 milhões

O número de desempregados pelo coronavírus, tomando como base os pedidos de seguro-desemprego, já é quase o dobro dos 22,442 milhões de postos de trabalho gerados nos EUA desde a retomada pós-Grande Recessão (crise do subprime de 2008).

Ou seja, o Covid-19 pôs fim a mais de uma década de recuperação do nível de emprego nos EUA. Antes da crise atual, o recorde nos pedidos de seguro-desemprego tinha ocorrido em 1982, com 650 mil reivindicações.

Payroll sai na sexta

Amanha (5), será divulgado o payroll americano, com a folha de pagamento oficial que contabiliza os empregos não-agrícolas no país. A projeção do mercado é por 8 milhões de postos de trabalho perdidos em maio.

Uma das formas mais eficientes de identificarmos o nosso perfil de investidor, é realizando um teste de perfil.

Você já fez seu teste de perfil? Descubra qual seu perfil de investidor! Teste de Perfil

Ontem (3), o Relatório Nacional de Emprego dos Estados Unidos, calculado pelo ADP Research Institute e pela Moody’s Analytics, revelou que 2,760 milhões de vagas foram perdidas em maio.

O resultado veio menor do que o esperado, que era de 8,750 milhões. E também bem abaixo de abril. O total de empregos perdidos em abril foi revisado de 20,236 milhões para 19,557 milhões.

O relatório da ADP/Moody’s é considerado uma prévia do payroll. A diferença é que o relatório contabiliza apenas vagas no setor privado não-agrícola. Já o payroll também inclui na contagem os funcionários públicos.

Para Ahu Yildirmaz, chefe do ADP, o pico do desemprego nos EUA aconteceu mesmo em abril e a tendência agora é de melhora gradual no cenário do mercado de trabalho graças à reabertura da economia.

Dúvidas sobre como investir? Consulte nosso Simulador de Investimentos