EUA: seguro-desemprego vem acima da projeção, mas abaixo de 1 milhão

Cláudia Zucare Boscoli
Jornalista formada pela Cásper Líbero, com pós-graduação em Jornalismo Econômico pela PUC-SP, especialização em Marketing Digital pela FGV e extensão em Jornalismo Social pela Universidade de Navarra (Espanha), com passagens por IstoÉ Online, Diário de S. Paulo, O Estado de S. Paulo e Editora Abril.
1

Crédito: Reprodução/Pixabay

Os novos pedidos de seguro-desemprego nos Estados Unidos ficaram, pela terceira semana consecutiva, abaixo de 1 milhão de reivindicações.

Vieram em 860 mil, quando o mercado esperava 850 mil. Na semana passada, foram 893 mil pedidos, ajustados de 884 divulgados anteriormente.

Desde o início da crise do coronavírus nos EUA, em março, foram 22 semanas com mais de 1 milhão de pedidos e agora quatro com leitura inferior a este número (em 13 de agosto, o registro foi de 971 pedidos).

Conheça os Fundos Imobiliários para investir em Outubro

A semana mais crítica foi a de 28 de março, quando as reivindicações atingiram o recorde de 6,86 milhões.

Antes desta crise, o teto nos pedidos de seguro-desemprego tinha ocorrido em 1982, com 650 mil reivindicações.

A informação foi divulgada nesta quinta-feira (17), pelo Bureau of Labor Statistic (BLS), do Departamento de Trabalho americano.

Confira principais Ações para investir em Outubro

Retomada do emprego desacelerou?

As reivindicações contínuas ficaram em 12.628 milhões, quando o mercado esperava por 13 milhões. Na semana passada, eram 13,544 milhões. O recuo sinaliza uma retomada do emprego, mas modesta.

O presidente do Fed, Jerome Powell, abordou este tema em sua coletiva de imprensa ontem (16), após o anúncio do Fed de manter as taxas de juros. “O caminho à frente permanece altamente incerto”, disse, enfatiznado a provável necessidade de mais estímulos fiscais para manter emprego e renda.

Seguro-desemprego pode ter resolução em dez dias

Democratas e republicanos ainda seguem sem uma definição quanto ao pacote de auxílio financeiro à população na pandemia, que incluiria um novo valor do seguro-desemprego.

Mas, ontem, a Casa Branca sinalizou que está avançando nas negociações com o congressistas e que um anúncio deve ser feito em breve.

Os interesses eleitorais têm atrapalhado as negociações, já que a eleição para a presidência acontece em novembro.

O benefício de US$ 600 semanais foi pago até o final do mês de julho. Desde então, o que vale são os US$ 400 semanais determinados por ordem executiva do presidente Donald Trump – US$ 300 pagos pelo governo federal, e US$ 100 complementados pelos estados.

Payroll aponta criação de 1,371 milhão de vagas em agosto

O último payroll (folha de pagamento não-agrícola, que é considerado o parâmetro oficial para emprego/desemprego) apontou a criação de 1,371 milhão de vagas de emprego em agosto, pouco abaixo dos 1,4 milhão projetados pelo mercado.

Em julho, o payroll confirmou a abertura de 1,763 milhão de postos de trabalho. Em junho foram 4,791 milhões.

A taxa de desemprego de caiu de 10,2% em julho para 8,4 em agosto.

O número de desempregados caiu 2,8 milhões, ficando em 13,6 milhões de pessoas.