EUA: pedidos de seguro desemprego sobem para 351 mil acima da projeção

Victor Meira
Com formação em Ciências Sociais e Jornalismo, experiência em redação nas editorias de esportes, empregos, concursos, economia e política.
1

Crédito: Divulgação/P&G

Os EUA tiveram 351 mil novos pedidos de seguro desemprego na semana passada. Foi um aumento de 16 mil vagas a mais, de acordo com os dados divulgados nesta quinta-feira (23). A projeção era de 335 mil pedidos. 

A média móvel de quatro semanas foi de 335,750 mil, uma queda de 750 pedidos da  média revisada da semana anterior. A média da semana anterior foi revisada para cima em 750 pedidos, de 335,750 para 336,500. 

Praticidade e precisão, saiba quais melhores investimentos e como melhorar rentabilidade de suas ações

Os dados de emprego nos EUA são acompanhados de perto pelos investidores. A leva alta nos pedidos de auxílio na semana reforça a tese do Fed de que a economia ainda demanda estímulos. Especialmente em relação à retomada do mercado de trabalho.

Ontem (23), Jerome Powell, presidente do Fed, afirmou que o tapering (retirada de estímulos) está próximo e deve ser anunciado a partir de novembro. Mas que a instituição continuará dando o suporte necessário à retomada da economia. 

EUA: pedidos sem ajustes têm aumento de 15,2%

Com relação aos dados não ajustados, que incluem informações de programas estaduais, o número de pedidos totalizou 306.209 na semana encerrada em 18 de setembro. O que representa um incremento de 40.307 novos pedidos (ou 15,2% a mais) do que a semana anterior.

Além disso, no período pesquisado, 38 estados relataram 15.162 novos pedidos de auxílio de emergência por conta da pandemia.

Os maiores aumentos nos pedidos para a semana ocorreram na Louisiana (elevação de 4.318 novos pedidos), distrito de Columbia (+3.783), Arizona (+3.739), Maryland (+2.018) e Missouri (+1.658).

Por outro lado, as maiores reduções ocorreram em Illinois (queda de 7.481), Califórnia (redução de 5.950), Ohio (retração de 4.665), Texas (diminuição de 3.635) e Virgínia (2.357 pedidos a menos).

Com relação às taxas de desemprego segurado, aqueles que estão sem trabalho mas recebem auxílio do governo, foi maior em Porto Rico (4,4%). Este foi seguido pelo Distrito de Columbia (4,2%), Califórnia (3,1%), Nova Jersey (3%), Illinois (2.8), Nevada (2,8%), Nova York (2,8%), Rhode Island (2,7%), Havaí (2,5%) e Connecticut (2,2%).